domingo, 31 de janeiro de 2016

Adão tinha “super poderes”?


Das heresias já ditas pelos adeptos a teologia da prosperidade, essa talvez seja a mais curiosa. Eles apelam para o texto de Gênesis 1:28, que diz:

E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.
Gênesis 1:28

Um dos maiores hereges adeptos a teologia da prosperidade, Benny Hinn, comenta dizendo:

“Adão era um super ser quando Deus o criou. Eu não sei se pessoas sabem disso, mas ele foi o primeiro Super-Homem que realmente já viveu. Primeiro de tudo, as Escrituras declaram claramente que ele tinha domínio sobre as aves do céu, os peixes do mar – o que significa que ele costumava voar.” [Citado por Hank Hanegraaff em “Christianity in crisis”, p. 380]

Alguns ainda comentam que Adão tinha um “super intelecto”, e por isso conseguiu nomear todos os animais em um período de 24 horas. Essas super habilidades de Adão foram tiradas dele por causa do pecado.

Adão tinha “super poderes”?


Agora, me perdoem os adeptos a isso, mas esse talvez seja o maior exemplo de eisegese que eu já vi na vida. Ninguém interpretaria esse texto dessa forma sem essa idéia pré-concebida na mente.
Primeiro, Adão também tinha domínio sobre as cobras. Isso implica que ele rastejava? Nop. Segundo, não existe evidencia bíblica alguma de que Adão fosse “perfeito” ou com “super poderes”. Isso na verdade não faz sentido também. Já que Cristo é chamado de “Segundo Adão”, podemos tentar especular. Jesus era fisicamente e mentalmente igual aos seres humanos. Até mesmo seus milagres são feitos pacientemente. E eles são feitos graças a sua Natureza Divina, algo que Adão não possuía. Cristo não tinha natureza pecadora, mesmo assim sua natureza humana não mostrava esses super poderes.
Alguns podem tentar contornar essa conclusão dizendo que Jesus tinha, de fato, natureza pecaminosa. Porem, isso não faz sentido algum. É logicamente impossível um ser 100% divino ter uma natureza pecaminosa. Se Jesus tivesse natureza pecaminosa isso iria implicar numa impossibilidade lógica: Ser 100% Divino e sem pecados e ao mesmo tempo com pecados.
Pode ser respondido que estou usando teologia-filosofia, e não a Bíblia. E podem apelar para esses versículos:

Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne
Romanos 8:3

E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo
Hebreus 2:14

Porem, Romanos 8:3 diz que Ele veio em semelhança da carne do pecado. Como Matt Slick argumenta:

“A chave para entender esse verso é a palavra ‘semelhança’. Se essa palavra tivesse sido omitida, então o texto diria ‘...enviando o seu Filho em carne do pecado...’ Se isso fosse o que o verso diz, então [...] teriam um argumento valido. [...] Em outras palavras, homens são pecadores, Jesus apareceu como homem. Portanto, Jesus apareceu em semelhança a um pecador apesar de Ele não ser um pecador.” [CARM, “Did Jesus have a sin nature as the Christadelphians teach?”, online em https://carm.org/religious-movements/christadelphianism/did-jesus-have-sin-nature-christadelphians-teach#footnote2_1cz5oj3 (acesso 30 de janeiro de 2016)]

Hebreus 2:14 também cai na mesma categoria de versos mau-usados. Ali diz que Jesus participou da carne e do sangue. Mas isso não implica que Ele tenha participado do pecado.
Outros podem apelar pras tentações de Satanás em Jesus. Porem, só porque Satanás o tentou, não significa que Ele se sentiu tentado. Se você vier me tentar com ingressos para um jogo de futebol, eu não vou me sentir tentar porque eu detesto futebol.
Se podemos usar alguma parte da Bíblia pra falar sobre o tema, então creio que esses versículos são mais do que decisivos:

Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.
Hebreus 4:15

E bem sabeis que ele se manifestou para tirar os nossos pecados; e nele não há pecado.
1 João 3:5

Alem disso, uma natureza pecaminosa é um defeito. Porem, os sacrifícios do Antigo Testamento, que simbolizavam Cristo, deveriam ser feitos com animais sem defeitos:

Não sacrificarás ao SENHOR teu Deus, boi ou gado miúdo em que haja defeito ou alguma coisa má; pois abominação é ao SENHOR teu Deus.
Deuteronômio 17:1

Conclusão


Podemos concluir então que não existem evidências bíblicas de que Adão tivesse super poderes e que tenha perdido por causa do pecado. Mesmo se pudéssemos implicar algo por causa da dominância sobre aves, ainda assim não existiria nada que dissesse que Adão perdeu esses poderes. E por fim, Cristo é chamado de “segundo Adão” e não tinha pecados. Mesmo assim, só podia fazer milagres por causa de Sua Natureza Divina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário