quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

A Soberania de Deus, Predestinação e Livre-arbítrio: A Perspectiva Molinista (R.O.S.E.S)


[Sim, uns dias atrás em simpatizei com o Calvinismo. Mas ja voltei pro Molinismo puro.]
Molinismo é uma posição soteriológica que envolve não só teologia, mas também filosofia. Originada pelo teólogo jesuíta (“ain mas é católico”, cresça) Luis de Molina, ela adota o que é chamado de doutrina do conhecimento médio.
Na época, era quase unanime a ideia de que Deus possuía tanto o conhecimento natural quanto o conhecimento livre. O conhecimento natural é o conhecimento de todos os mundos possíveis. Já o conhecimento livre, é o conhecimento de todas as verdades do mundo escolhido por Deus.
Molina pensou em mais um: O Conhecimento Médio. Nesse, Deus sabe todos os mundos realizáveis. Tudo o que as pessoas iriam fazer em quaisquer circunstâncias.
Mas, sem enrolar muito, vamos para os cinco pontos do Molinismo.

A Soberania de Deus, Predestinação e Livre-arbítrio: A Perspectiva Molinista (R.O.S.E.S)


R – Radical Depravity (Depravação Radical)

Basicamente, é o mesmo que a Depravação Total do Calvinismo (T de TULIP) e do Arminianismo (T de FACTS). O nome é diferente para não dar a ideia de que “o homem é tão depravado quanto poderia ser”. No caso, o homem é completamente depravado. Antes criado à imagem de Deus (Gênesis 1:26-27), agora é caído no pecado e separado de Deus.
Nesse estado, nós não desejamos Deus, não podemos fazer nada pra Deus e não conseguimos receber Jesus como nosso Senhor e Salvador.

Será que o etíope pode mudar a sua pele? Ou o leopardo as suas pintas? Assim também vocês são incapazes de fazer o bem, vocês que estão acostumados a praticar o mal.
Jeremias 13:23

Quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente.
1 Coríntios 2:14

Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe.
Salmos 51:5

Sabemos que a lei é espiritual; eu, contudo, não o sou, pois fui vendido como escravo ao pecado.
Não entendo o que faço. Pois não faço o que desejo, mas o que odeio.
E, se faço o que não desejo, admito que a lei é boa.
Neste caso, não sou mais eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim.
Sei que nada de bom habita em mim, isto é, em minha carne. Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realizá-lo.
Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo.
Ora, se faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim.
Assim, encontro esta lei que atua em mim: Quando quero fazer o bem, o mal está junto a mim.
Pois, no íntimo do meu ser tenho prazer na lei de Deus;
mas vejo outra lei atuando nos membros do meu corpo, guerreando contra a lei da minha mente, tornando-me prisioneiro da lei do pecado que atua em meus membros.
Miserável homem eu que sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte?
Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor! De modo que, com a mente, eu próprio sou escravo da lei de Deus; mas, com a carne, da lei do pecado.
Romanos 7:14-25

O – Overcoming Grace (Graça Superior)

Essencialmente o mesmo que o Freed do Arminianismo. Com a graça superior, o problema da depravação radical é solucionado. Jesus disse:

Ninguém pode vir a mim, se o Pai, que me enviou, não o atrair; e eu o ressuscitarei no último dia.
João 6:44

E prosseguiu: "É por isso que eu lhes disse que ninguém pode vir a mim, a não ser que isto lhe seja dado pelo Pai".
João 6:65

Com isso em mente, entenda a graça superior: Deus envia Sua Graça para todos, pois Ele quer que todos sejam salvos. Uma pessoa só pode ser salva se Deus chamar a pessoa e dar graça a ela. João ainda diz:

Nele estava a vida, e esta era a luz dos homens.
João 1:4

Surgiu um homem enviado por Deus, chamado João.
Ele veio como testemunha, para testificar acerca da luz, a fim de que por meio dele todos os homens cressem.
João 1:6,7

Estava chegando ao mundo a verdadeira luz, que ilumina todos os homens.
João 1:9

Essa graça esta em todos, e é resistível:

Povo rebelde, obstinado de coração e de ouvidos! Vocês são iguais aos seus antepassados: sempre resistem ao Espírito Santo!
Atos 7:51

Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e apedreja os que lhe são enviados! Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram.
Mateus 23:37

S – Sovereign/Sage Election (Eleição Soberana/Sábia)

Aqui é onde o conhecimento médio de Deus entra. Deus quer salvar a todos, ninguém pode ser salvo sozinho. Por isso, existe a graça superior em todos os seres humanos, para que eles possam livremente vir a Cristo.
Eleição corporativa pode ser interpretada em alguns versículos (como em Efésios 1-2), mas existem outros em que isso não parece possível (Atos 13:48).
Na visão Molinista, a salvação individual é vista de forma diferente, graças ao conhecimento médio de Deus.
A visão Molinista de como Deus criou e elegeu a todos deve ser explicada. Basicamente:

Momento 1: Conhecimento Natural – Deus sabe todos os mundos possíveis

Momento 2: Conhecimento Médio – Deus sabe todos os mundos realizáveis que Ele pode criar – Criação do mundo real

Momento 3: Conhecimento Livre – Deus sabe todas as verdades sobre o mundo real.

Kenneth Keathley coloca dessa forma:

“... De um conjunto infinito de mundos possíveis que poderiam acontecer (Conhecimento natural de Deus) há um subconjunto infinito de mundos realizáveis que podem realizar a Sua vontade (conhecimento médio). Deus livremente escolhe um desses mundos realizáveis e Ele perfeitamente sabe o que vai acontecer nesse mundo real (conhecimento livre). Em um modelo Molinista, a soberania de Deus controla todas as coisas, ainda assim humanos possuem real liberdade para que eles possam ser responsabilizados.” [Kenneth Keathley, “Salvation and Sovereignty: A Molinist Account”, Kindle Pos. 385-388]

Então, desde antes da criação Deus já sabia aqueles que livremente escolheriam Cristo e que perseverariam, e esses são os eleitos. Deus quer se relacionar com todos, mas apenas aqueles que querem se relacionar com Ele são eleitos.
E é exatamente isso que a Confissão de fé de Westminter diz:

“Desde toda a eternidade, Deus, pelo muito sábio e santo conselho da sua própria vontade, ordenou livre e inalteravelmente tudo quanto acontece, porém de modo que nem Deus é o autor do pecado, nem violentada é a vontade da criatura, nem é tirada a liberdade ou contingência das causas secundárias, antes estabelecidas.” [Confissão de Fé de Westminter, Capitulo III – Dos eternos decretos de Deus]

James Beilby explica como o conhecimento médio funciona da seguinte forma:

“Se nós considerarmos que o termo presciência como abrangendo o conhecimento médio, então nós podemos fazer perfeito sentido do controle providencial de Deus sob um mundo de agentes livres. Pois via Seu conhecimento médio, Deus sabia exatamente quais pessoas, se membros do Sinédrio, iriam livremente votar para a condenação de Jesus; quais pessoas, se em Jerusalem, iriam livremente exigir a morte de Cristo, favorecendo que soltassem Barrabás; o que Herodes, o rei, iria livremente fazer em reação a Jesus e ao apelo de Pilatos para Julgar ele por conta própria [...] Deus decretou para a criação apenas aqueles que iriam livremente fazer o que Deus quer que aconteça.” [James Beilby, Divine Foreknowledge, Kindle Pos. 1664]

Desse modo, o Molinista argumenta que a eleição é soberana de Deus, mas ainda o ser humano possui livre arbítrio. John Correia coloca dessa forma:

“Conhecimento Médio vem a ser útil aqui, porque de todos os mundos possíveis que Deus poderia ter criado, Ele escolheu criar o mundo em que tudo o que Sua soberania deseja vem a acontecer e faz isso de uma forma que não viola as decisões livres. Todos aqueles que vem a Cristo são aqueles que são eleitos, e nenhum daqueles que é perdido teria vindo a fé em Cristo em nenhum outro cenário possível. Então, tanto a soberania de Deus quanto a responsabilidade humana estão aqui.” [John Correia, “Refreshing Grace”, Kindle pos. 1382; p. 130]

Existe suporte Bíblico para a doutrina do conhecimento médio? Absolutamente sim:

Quando o faraó deixou sair o povo, Deus não o guiou pela rota da terra dos filisteus, embora este fosse o caminho mais curto, pois disse: "Se eles se defrontarem com a guerra, talvez se arrependam e voltem para o Egito".
Êxodo 13:17

Vemos claramente aqui que Deus sabia que se tivesse levado os Israelitas pela rota da terra dos filisteus, iriam encontrar guerra e voltariam ao Egito.

E Saul convocou todo o seu exército para a batalha, para irem a Queila e cercarem Davi e os homens que o seguiam.
Quando Davi soube que Saul tramava atacá-lo, disse a Abiatar: "Traga o colete sacerdotal".
Então orou: "Ó Senhor, Deus de Israel, este teu servo ouviu claramente que Saul planeja vir a Queila e destruir a cidade por causa dele.
Será que os cidadãos de Queila me entregarão a ele? Saul virá de fato, conforme teu servo ouviu? Ó Senhor, Deus de Israel, responde". E o Senhor disse: "Ele virá".
E Davi, novamente, perguntou: "Será que os cidadãos de Queila entregarão a mim e a meus soldados a Saul?" E o Senhor respondeu: "Entregarão".
Então Davi e seus soldados, que eram cerca de seiscentos, partiram de Queila, e ficaram andando sem direção definida. Quando informaram a Saul que Davi tinha fugido de Queila, ele interrompeu a marcha.
Davi permaneceu nas fortalezas do deserto e nas colinas do deserto de Zife. Dia após dia, Saul o procurava, mas Deus não entregou Davi em suas mãos.
1 Samuel 23:8-14

Novamente, Deus sabe o que iria acontecer com Davi se ele ficasse em Queila.

Não enviei esses profetas, mas eles foram correndo levar sua mensagem; não falei com eles, mas eles profetizaram.
Mas se eles tivessem comparecido ao meu conselho, anunciariam as minhas palavras ao meu povo e teriam feito com que se convertessem do seu mau procedimento e das suas obras más.
Jeremias 23:21,22

Aqui, vemos que Deus sabia o que aconteceria se ouvissem os conselhos d’Ele.

"Ai de você, Corazim! Ai de você, Betsaida! Porque se os milagres que foram realizados entre vocês tivessem sido realizados em Tiro e Sidom, há muito tempo elas se teriam arrependido, vestindo roupas de saco e cobrindo-se de cinzas.
Mas eu lhes afirmo que no dia do juízo haverá menor rigor para Tiro e Sidom do que para vocês.
E você, Cafarnaum: será elevada até o céu? Não, você descerá até ao Hades! Se os milagres que em você foram realizados tivessem sido realizados em Sodoma, ela teria permanecido até hoje.
Mas eu lhes afirmo que no dia do juízo haverá menor rigor para Sodoma do que para você".
Mateus 11:21-24

Esse é meio controverso. Mas vemos que Jesus diz o que aconteceria se os milagres que foram feitos em Corazim e Betsaida tivessem sido feitos em Tiro e Sidom.

Nenhum dos poderosos desta era o entendeu, pois, se o tivessem entendido, não teriam crucificado o Senhor da glória.
1 Coríntios 2:8

Aqui é Paulo falando. Mas é possível que esteja nas Escrituras para mostrar uma possibilidade conhecida por Deus.

Então Jeremias disse a Zedequias: Assim diz o SENHOR, Deus dos Exércitos, Deus de Israel: Se voluntariamente saíres aos príncipes do rei de babilônia, então viverá a tua alma, e esta cidade não se queimará a fogo, e viverás tu e a tua casa.
Mas, se não saíres aos príncipes do rei de babilônia, então será entregue esta cidade na mão dos caldeus, e queimá-la-ão a fogo, e tu não escaparás da mão deles.
Jeremias 38:17,18

William Lane Craig comenta:

“Em Sua onisciência Deus sabia o que iria acontecer conforme o curso da ação que Zedequias escolheu. Com efeito, interpretar certas profecias como avisos hipotéticos em vez de como sendo declarações categóricas de presciência simples permite-nos explicar como é que em Israel o teste de um verdadeiro profeta foi o cumprimento de suas previsões (Deut. 18,22) e ainda, algumas previsões dadas pelos verdadeiros profetas não virem a acontecer de fato devido a uma mudança por parte das pessoas prevenidas (Amós 7,1-6); Jonas 3; Isaías 38,1-5). Em tais casos, o que Deus estava dando era de conhecimento hipotético do que poderia acontecer sob as condições prevalecentes; mas com a oração de intercessão e o arrependimento, Deus não iria realizar o que havia sido ameaçado.” [William Lane Craig, "What Does God Know?  Reconciling Divine Foreknowledge and Human Freedom", pp. 9-10.]

Em suma, Deus ve os mundos possíveis e elege o mundo em que os eleitos são livremente salvos pela graça. 
   
E – Eternal Life (Vida Eterna)

Basicamente a perseverança dos santos. O novo nome é dado porque o antigo dava a impressão de que era a pessoa que mantinha sua salvação.
O salvo pela soberania de Deus e por sua livre escolha é preservado.

Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão; ninguém as poderá arrancar da minha mão.
Meu Pai, que as deu para mim, é maior do que todos; ninguém as pode arrancar da mão de meu Pai.
João 10:28,29

S – Singular Redemption (Redenção Única)

Jesus morreu para salvar a todos. Dessa forma, a salvação é possível pra todos, mas apenas aqueles que vêm à fé em Cristo são salvos.

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.
João 3:16-18

Que deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade.
Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus,
o qual se entregou a si mesmo como resgate por todos. Esse foi o testemunho dado em seu próprio tempo.
1 Timóteo 2:4-6

O Senhor não demora em cumprir a sua promessa, como julgam alguns. Pelo contrário, ele é paciente com vocês, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento.
2 Pedro 3:9

E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo.
1 João 2:2

Porque para isto trabalhamos e somos injuriados, pois esperamos no Deus vivo, que é o Salvador de todos os homens, principalmente dos fiéis.
1 Timóteo 4:10

E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição.
2 Pedro 2:1

Conclusão

Então, temos R.O.S.E.S. A Soberania de Deus e o Livre Arbítrio humano em harmonia. Somos radicalmente depravados, eleitos pela soberania de Deus com a graça superior através de Seu conhecimento médio, tendo assim a vida eterna pelo sacrifício único de Cristo.
Como devem imaginar, outros textos serão escritos refutando objeções contra o molinismo e o conhecimento médio.

Fontes

Cerebral Faith, “Is Molinism Biblical?”, online em http://cerebralfaith.blogspot.com.br/2014/11/is-molinism-biblical.html (acesso 21 de janeiro de 2016)

Molinism is a Bed of ROSES, online em  http://www.paul-gould.com/2012/10/31/molinism-is-a-bed-of-roses/ (acesso 21 de janeiro de 2016)

Veritas Fidei, “PREDESTINATION AND FREE WILL: IS MOLINISM BIBLICAL?”, online em http://veritasfidei.org/en/predestination-and-free-will-is-molinism-biblical/ (acesso 21 de janeiro de 2016)

3 comentários:

  1. Resumindo então: no molinismo, você só pode ser salvo porque Deus lhe possibilitou, mas pra ser ,de fato, salvo você tem que escolher essa possibilidade. É isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus escolheu criar o mundo possível onde o eleito livremente escolhe ser salvo por causa da graça preveniente de Deus.

      Excluir
  2. O que que tem ele ser Católico? Mais uma vez e no catolicismo que surgi a solução para as divisões protestantes.

    ResponderExcluir