terça-feira, 19 de abril de 2016

O Problema do Emocionalismo nas Igrejas


Existe uma vertente no meio cristão que “emocionaliza” os cultos e os encontros tanto, que isso tem se tornado um ponto extenso de comentários de pastores e teólogos no meio acadêmico. A pior parte não é apenas o abuso de emoções fortes nos cultos, mas a criação de doutrinas a partir dessas emoções e sentimentos, assim como pessoas mais interessadas na emoção que vai lhes fazer sentir bem do que no próprio Deus. Alem disso, há também aqueles que acusam as igrejas menos emocionais de “frias”, por não apelarem para o sentimentalismo.

O Problema do Emocionalismo nas Igrejas

                                            

Pela Verdade, não pela emoção


Um tempo atrás, eu estava me sentindo “menos cristão” que os outros. Isso porque eu não sentia nada ao falar de Deus. Não sentia nada ao ouvir falar de Deus. Não me sentia bem por ser salvo (mas, obviamente, não me sentia mal). Então, eu resolvi pedir um conselho d Michael Jones, do canal Inspiring Philosophy, o qual ele me respondeu o seguinte: Não busque a Deus por sentimentos. Siga a Cristo por que Ele é a Verdade. Seja cristão pelo Cristianismo ser verdadeiro, não pelo que ele te faz sentir.
Obviamente, nós temos que ter algum tipo de conforto com a Salvação pela Graça de Deus. Mas não devemos ir a Deus meramente pelo sentimento. Em toda parte da Bíblia, aqueles que seguiram a Deus não o seguiram para fazer bem. De fato, até as manifestações emocionais deles eram em um contexto especifico. Mas em todo o momento, eles tinham razões para seguir a Deus. Eles obedeciam a Deus por Ele ser real e verdadeiro, não pela emoção que Ele poderia proporcionar.
Teólogo reformado Matthew Slick faz uma observação interessante. Ele diz:

“Como você sabe que o que você sente esta correto? Não teve nenhuma vez em que seus sentimentos acabaram estando errados? Você esta dizendo que o que você sente determina a verdade? Se sim, então você esta se colocando no lugar de Deus e olhando para si mesmo pelo que você ‘sente’ ser correto” [...]
“... A Bíblia diz que o coração é enganoso e que não pode ser confiado (Jeremias 17:9). Se você pudesse vir a conhecer a verdade pelo que você sente, então a Bíblia, que é a revelação de Deus, não precisaria ter sido escrita. Mas ela foi escrita, e foi revelado que apenas Deus é a Fonte da verdade, não os seus sentimentos.” (CARM, Religion is whatever you feel is right, https://carm.org/apologetics/objections-and-answers/religion-whatever-you-feel-right acesso 19 de abril de 2016)

Um culto frio também não é aquele que não apela às emoções. Um culto tem como propósito a pregação da Palavra de Deus. Se essa palavra te toca é outra história. Mas se o culto for totalmente voltado para a emoção humana, então não é um culto para Deus, mas um culto para as pessoas.
A Palavra deve ser pregada, não uma musica tocante. Essa exposição da Palavra de Deus pode não fazer você se sentir super bem, mas ela pode ter sido uma resposta de oração e ajuda a uma pessoa em uma situação especifica. E, claro, mesmo que não represente a sua situação atual, você agora conhece um pouco mais da Palavra de Deus e o que Ele quer para situações especificas. O propósito da exposição da Palavra é o conhecimento do que Deus quer para uma determinada situação e a reflexão e meditação no texto exposto. Isso pode te fazer se sentir bem ou não. Mas você deve buscar a Deus pela verdade, não pelo que te faz sentir melhor.
A manipulação emocional sempre vai extrapolar os limites, e podem ser explicados naturalmente. Como Yago Martins colocou:

“Muitas das coisas que eu sentia em um culto [neo-pentecostal] eu fui sentir igual vendo uma boa peça de teatro. Muitos dos arrepios que eu julgava serem unção na hora do louvor, eu senti igual em um show de cover dos Beatles. E que, muitas das coisas que eu julguei ser Deus atuando na nossa vida, naquele momento de meia-luz, com todo mundo chorando, e Deus agindo no nosso coração, é igualzinho a uma sessão de musicoterapia. Em que, apaga-se a luz, toca aquela musica de fundo, com o tempo todo mundo esta chorando. Pode ser ímpio, ateu, mas chorando. Porque existe um ambiente que gera aquele estado emocional. Por que no encontro a luz não esta acesa? Não fica sem nenhuma luz de fundo? Por que que não esta todo mundo sentadinho, e ora, e não acontece a mesma coisa?” (Doid Dedos de Teologia, “G12, M12, MDA, ENCONTRO COM DEUS E OUTRAS HERESIAS”, https://www.youtube.com/watch?v=Wgw1FI7o6jE [34:53] acesso 19 de abril de 2016)

Conclusão



Eu não estou dizendo que Deus não pode usar emoções. Eu não estou dizendo que emoções são erradas. Eu não estou dizendo que você não deve se sentir bem com Deus. Eu não estou dizendo que você não pode se sentir tocado com a pregação da Palavra. Mas a partir do momento em que a Igreja apela para emoções para atrair pessoas e criar doutrinas, ela cria um ídolo. Como dito acima, um cristão não deve buscar a Deus para se sentir bem. Se for assim, ele não busca a Deus, mas sim um empregado que o faça se sentir bem. O cristão deve buscar a Deus pela Verdade. Servir a Cristo pelo que Ele É e pelo que fez. Não pela sua emoção.

Um comentário:

  1. Ótimo texto Felipe, muito bem observado. Que Deus continue te usando, amém.

    ResponderExcluir