quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Poderia a evolução explicar a origem da religião?


Poderia a evolução explicar as origens das crenças religiosas do mundo? As resposta rápida é: Não. A resposta longa é: Não, de jeito nenhum. Por três motivos:
Primeiro, esta confundindo epistemologia com ontologia. Epistemologia é como nós descobrimos algo, enquanto ontologia tem a ver com a realidade desse algo. Mesmo se nossos ancestrais tiverem descoberto verdades religiosas por experiência, isso não diz nada quanto a verdade dessas crenças descobertas.
Segundo, isso seria um exemplo de falácia genética. Quer dizer, tentar invalidar uma crença ou posição atacando como ela se originou. Dizer como algo se origina não diz nada quanto a verdade desse algo. Por exemplo, se eu viesse a saber que a Dilma é a presidente do Brasil por que li em uma revistinha da Turma da Mônica, a fonte dessa crença não diz nada quanto a verdade dela.
Terceiro, se a religião for algo falso e a evolução a favoreceu, então quanta confiança podemos ter de que qualquer coisa favorecida pela evolução não é falsa? De fato, a evolução só se preocupa com sobrevivência e reprodução. Mas ela não diz nada sobre crenças verdadeiras. Se uma crença falsa favorecer a sobrevivência, então a evolução vai favorece-la. Dessa forma, quão confiantes podemos ser de que a própria crença na evolução seja verdadeira?

Nenhum comentário:

Postar um comentário