quarta-feira, 20 de julho de 2016

Uma Resposta ao Felipe Neto


Mais uma vez o mundo youtuberistico brasileiro surpreende com pensamentos filosóficos de ponta. Mas dessa vez vem do grande teólogo especializado em história da igreja e mestre em hebrego malakoi: Felipe Neto.
Claro que, isso tudo é brincadeira. De fato, acho que o Felipe Neto é o único youtuber de assuntos gerais com o qual eu conseguiria ter uma conversa no mínimo interessante. Isso porque pessoas como Cauê Moura e PC Siqueira não parecem ter a postura de conversa intelectual acerca da existência de Deus que encontramos nos debates contemporâneos. Bom, na verdade, nem o Felipe Neto parece ter qualquer treino na área. Mas pelo menos ele parece que teria a postura adequada em um debate.
Os comentários de hoje são sobre o vídeo “FELIPE NETO É ATEU?”. É algo bem “popular”, na verdade. Claro que o vídeo tem como propósito falar sobre a crença particular do Felipe Neto. Mas alguns pontos eu achei interessante comentar, já que são erros populares. Se você tem qualquer treino em apologética cristã, ou em filosofia dos dias de hoje (e não de 1000 anos atrás), ou em teologia vai ver as falhas no discurso dele. Mas, para os mais leigos...

Uma Resposta ao Felipe Neto


“O que é ‘ateu’ pra você?” (0:55)


“Ateu” só tem um significado: É aquele que crê que Deus não existe. Alguns naturalistas, para fugir do “ônus da prova”, vão dizer que “a-teismo” é a ausência de crença. Eles dirão que o prefixo “a” antes do “Theos” no grego indica a “ausência de Theos/Deus”, levando-nos a crer que é apenas a ausência de crença. Mas não é assim que o prefixo funciona em grego. Como filósofo Shandon Guthrie colocou:

Quando você tem algo como ‘a-theos’, quer dizer, a ausência de Deus, não é a ausência da propriedade de uma crença. É a ausência de uma propriedade metafísica. É como quando você diz "esses dois sinais não estão assíncronos". Não é a ausência de crença de que eles estão sincronizados, mas a ausência de sincronicidade nos próprios sinais. Então quando alguém usa ‘a-theos’, historicamente eles querem dizer que o universo não tem Deus (How Atheists Distort the Definition of Atheism, https://www.youtube.com/watch?v=xOdlK2Q5dYk)

Também não é “não ter religião”. Como vimos, é a crença de que não existe Deus nenhum.

“Não sigo nenhuma religião porque não encontrei nenhuma religião que compartilhasse da minha concepção de Deus” (1:19)


Se Deus existir, então Ele é de um jeito. Estando ou não de acordo com o seu conforto, se Ele existir,então o mais sábio a se fazer é crer e segui-lo de qualquer forma. Não é seu conforto que define qual religião seguir, mas a verdade daquela religião que deve definir o que você vai seguir.

“Sempre foi difícil pro ser humano entender o que é o conceito do sobrenatural” (1:50)


Verdade. Religiões gregas e politeístas geralmente possuíam deuses humanizados. Porém (e aqui vai a surpresa pra você que não manja dos paranaue do cristianismo), o Deus cristão é totalmente diferente deles. Note que existem características do Deus da Bíblia que não são “humanizadas”. Por exemplo, a Trindade, que diz que Deus é um ser que subsiste em três Pessoas é totalmente incompreensível para a mente humana. Outras características como onipotência, onisciência e onipresença não são humanas também. E mesmo as características “humanas” que Deus apresenta possuem uma explicação na concepção judaico-cristã: Deus nos fez à Sua imagem e semelhança. E dizer que nós criamos Deus a partir de nossa imagem e semelhança é um argumento que incorre de petição de principio, por pressupor a verdade da conclusão no argumento.

“Não consigo acreditar em um Deus que tenha interferência em nossas vidas” (2:28)


Well, se a sua crença for essa, então você não é um ateu. É um deísta.

“Eu não acredito que se você fechar os olhos e repetir frases ou palavras mágicas Deus concede um desejo a você” (2:55)


Bom, na concepção cristã, a oração não é um pedido de desejo. Claro que nós colocamos nossas aflições e compartilhamos nossas vidas com Deus, mas a decisão final é d’Ele e só d’Ele. Ele não vai realizar um milagre por causa do meu pedido. Ele o realiza e me ajuda pela Sua graça misericordiosa quando Ele quiser.

“Por favor, respeite a minha crença” (3:20)


Respeito. Só estou escrevendo mesmo pra clarear uns pontos.

“Se Deus interfere, então Ele escolhe que um seja curado e outro morto” (interpretação da frase aos 3:45)


Vou apenas deixar aqui linkado meu artigo sobre o problema do mal e do sofrimento: "Se um Deus Amoroso e Poderoso existe, por que o mal existe?" - Uma Resposta

“Eu só posso negar o que eu posso provar, e eu não posso provar que determinado Deus não existe” (5:10)


Isso é apenas bobagem mesmo. Claro que você pode provar que algo não existe. Eu posso provar que não há dinossauros na lua. Posso provar que não existe um unicórnio rosa invisível, simplesmente apontando o fato de que pra um unicórnio ser rosa ele tem que refletir a luz rosa, mas pra ser invisível ele não pode refletir luz alguma. Sendo assim um ser lógicamente impossível. Posso provar que não há triângulos de quatro lados, ou solteiros casados. So, Yes, você pode provar que algo não existe. Basta mostrar que o conceito é auto-refutável ou que é logicamente impossível. Mas, se você admite que Deus é possível, então você admite que Ele existe.

“E se você descobre que todos nós seguimos um miojo sabor galinha caipira? Prova que isso não é real.” (5:20)


Posso provar que nós não seguimos nenhum miojo sabor galinha também. É só o Felipe Neto admitir que inventou isso. A partir do momento que isso é uma invenção da mente dele, já o mostra como irreal. Alem disso, Deus, por definição, deve ser o Maior Ser Concebível. Se algo puder ser maior do que Deus, então este será Deus. Porém, um miojo poderia ser comido, sendo assim contingente e limitado. Portanto, ele não pode ser Deus.

“Deus pra mim é tudo o que existe ao nosso redor [...] e eu acredito muito que essa energia pode influenciar as nossas vidas.” (5:35)


Bom, ai já é panteísmo. Porém, o panteísmo foi refutado com a cosmologia do Big Bang, que mostrou que o universo teve um inicio absoluto, assim acabando com a concepção de um universo divino e eterno.
Um ponto interessante é que aqui ele contradiz o que disse antes. Ele disse antes que acredita que Deus não age em nossas vidas, mas agora diz que a energia de deus (universo) influencia em nossas vidas.

“Eu não preciso de um guia de leis pra me dizer o que é certo e errado pra eu ter meu próprio valor de certo e errado” (5:48)


Isso é relativismo moral. Porém, sem a crença na objetividade de valores e deveres morais, 90% do que Felipe Neto combate se torna irrelevante. Por exemplo, todo o debate acerca da homofobia com Marco Feliciano se torna irrelevante, já que não há qualquer resposta certa. Debates como os do feminismo são apenas opiniões próprias. Não há qualquer razão para tentar promover “revoluções” morais acerca de tabus ou qualquer coisa. Tudo se torna questão de opinião.

“Eu acredito que sigo muito mais aquilo que Jesus pregava do que aqueles que dizem acreditar que Jesus é o Filho de Deus” (6:26)


Felipe Neto crê em panteísmo, relativismo e relativismo moral. Jesus ensinava que Deus é o Criador de tudo, que o único caminho pra Deus é Ele e que o pecado (moral objetiva) existe.

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
Ele estava no princípio com Deus.
Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
João 1:1-3

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.
João 14:6

E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.
João 8:11

Ele também disse que devemos julgar, se não for de forma hipócrita:

"Não julguem, e vocês não serão julgados. Não condenem, e não serão condenados. Perdoem, e serão perdoados.
Dêem, e lhes será dado: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês. Pois a medida que usarem, também será usada para medir vocês".
Jesus fez também a seguinte comparação: "Pode um cego guiar outro cego? Não cairão os dois no buraco?
O discípulo não está acima do seu mestre, mas todo aquele que for bem preparado será como o seu mestre.
"Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho?
Como você pode dizer ao seu irmão: ‘Irmão, deixe-me tirar o cisco do seu olho’, se você mesmo não consegue ver a viga que está em seu próprio olho? Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão".
Lucas 6:37-42

“Não quero ser bonzinho por recompensa. Não quero ser bonzinho por medo do inferno. Não quero ser bonzinho pra ir pro céu. Quero ser bonzinho pra me sentir bem comigo. Quero viver em função da vida, e não da morte.” (8:25)


Acredito que isso seja um ataque ao espantalho do que o cristianismo prega. Na concepção cristã, ninguém, por melhor que seja, é “bonzinho” e muito menos merece ir pro céu. E a própria frase dele mostra isso. “Eu quero ser bonzinho pra me sentir bem comigo”. Quer dizer, suas ações são definidas pelo seu egoísmo.
A Bíblia ensina que todos somos totalmente depravados:

Que concluiremos então? Estamos em posição de vantagem? Não! Já demonstramos que tanto judeus quanto gentios estão debaixo do pecado.
Como está escrito: "Não há nenhum justo, nem um sequer; não há ninguém que entenda, ninguém que busque a Deus.
Todos se desviaram, tornaram-se juntamente inúteis; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer".
"Suas gargantas são um túmulo aberto; com suas línguas enganam". "Veneno de serpentes está em seus lábios".
"Suas bocas estão cheias de maldição e amargura".
"Seus pés são ágeis para derramar sangue; ruína e desgraça marcam os seus caminhos, e não conhecem o caminho da paz".
"Aos seus olhos é inútil temer a Deus".
Sabemos que tudo o que a lei diz, o diz àqueles que estão debaixo dela, para que toda boca se cale e todo o mundo esteja sob o juízo de Deus.
Portanto, ninguém será declarado justo diante dele baseando-se na obediência à lei, pois é mediante a lei que nos tornamos plenamente conscientes do pecado.
Romanos 3:9-20

Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe.
Salmos 51:5-5

Vocês pertencem ao pai de vocês, o diabo, e querem realizar o desejo dele. Ele foi homicida desde o princípio e não se apegou à verdade, pois não há verdade nele. Quando mente, fala a sua própria língua, pois é mentiroso e pai da mentira.
João 8:44-44

A salvação cristã é apenas pela fé:

Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie.
Efésios 2:8,9

Então levou-os para fora e perguntou: "Senhores, que devo fazer para ser salvo? "
Eles responderam: "Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa"
Atos 16:30,31

Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus,
sendo justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus.
Romanos 3:23,24

Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo,
Romanos 5:1

As boas obras vem como evidência dessa salvação. Fazemos boas obras não para sermos salvos, mas porque somos salvos. São os frutos do Espírito:

Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti, que os que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus.
Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.
Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos.
Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito.
Não sejamos presunçosos, provocando uns aos outros e tendo inveja uns dos outros.
Gálatas 5:19-26

“Cada um deve acreditar naquilo que acredita (8:43) [...] Tolerância é a gente deixar a outra pessoa acreditar no que ela quer, desde que o que ela acredita não interfira na liberdade do amiguinho” (8:56)


Então porque você esta impondo isso como norma moral objetiva? Porque esta impondo essa crença nos outros? É objetivamente errado impor minha crença nos outros? Ou isso é sua preferência pessoal?
A ironia do relativismo é a imposição da norma de que não se deve impor crenças religiosas ou morais. O que é auto-refutável.

“Por incrível que pareça eu rezo!” (9:05)



Tente orar pra Jesus pedindo revelação. Pode se surpreender. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário