sábado, 16 de janeiro de 2016

O Evangelho segundo Mateus – Introdução


Eu decidi começar uma série aqui no blog onde posto meus estudos particulares da Bíblia. No momento, estou re-lendo o Evangelho Segundo Mateus, e decidi começar a postar aqui as minhas anotações de estudo.
Vou postando sempre as minhas anotações e vocês podem comentar algo relevante se quiserem.

O Evangelho Segundo Mateus – Introdução


O nome “Mateus” significa “Presente de Deus”. Mateus foi um dos Doze, e seu nome anterior era Levi (Marcos 2:14).
Sabemos que o autor deste evangelho foi Mateus por causa dos Pais da Igreja. Eusébio (265 d.C. – 339 d.C.) citou Orígenes (185 d.C. – 254 d.C.) dizendo que este evangelho havia sido escrito por Mateus [História Eclesiástica 6:25]. Irineu também disse que foi  Mateus. [Against Heresies 3.1.1-2] Como os Pais da Igreja viviam em lugares bem distintos, é bem improvável que eles tenham se reunido para combinar toda uma conspiração inventando quem escreveu o que.
Um outro ponto que deve ser colocado é que a Igreja posterior não escolheria o nome de Mateus para a autoria. Embora Mateus fosse um dos Doze, e isso lhe garantisse credibilidade de testemunha ocular, ele era um cobrador de impostos. Coisa que era mal vista. Seria muito melhor escolher nomes como Pedro e Filipe, como fizeram os autores dos evangelhos apócrifos que foram escritos seculos depois. Alem disso, a igreja não atribuiu à carta aos Hebreus a nenhum autor. Por que então fariam isso apenas com os evangelhos?
Sua data provavelmente é de antes do ano 70 d.C., já que o evangelho possui uma temática judaica muito forte, e não faria sentido Mateus escrever o evangelho pra judeus depois da revolta judaica em 70 d.C. Alem disso, ele cita a profecia de Jesus sobre a queda do templo de Jerusalém em 70 d.C. mas não diz que aquilo já havia acontecido. Isso é inconsistente com seu estilo de escrita. Um exemplo disso, seria quando Judas é mencionado pela primeira vez e Mateus já da um spoiler de que ele seria o traidor (Mateus 10:4).
Lemos em Mateus 26:51 que “um dos que estavam ali” atacou um dos soldados que havia ido prender Jesus. Mas, em João 18:10 nós lemos que este era Pedro. Isso indica que o evangelho de Mateus foi escrito antes de 70 d.C., já que ele estava tentando proteger a identidade de Pedro, enquanto que João, escrevendo em 90 d.C. já não via importância nisso.
O evangelho todo possui um tom judaico e o objetivo de mostrar Jesus como o Messias. A começar no primeiro capítulo, já vemos que a genealogia começa em Abraão, o "pai dos judeus". Outro ponto interessante, é que existem mais de 60 profecias messiânicas citadas no evangelho, e a frase “para se cumprir o que o Senhor havia dito através do profeta” aparece 12 vezes. Mateus também cita vários costumes judaicos sem explicá-los, mostrando que sua audiência original eram judeus que já estariam familiarizados com esses conceitos.

A importância apologética desse evangelho é, não apenas no cumprimento das profecias por Jesus, mas também no esclarecimento de doutrinas judaicas que apontavam para Ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário