quinta-feira, 1 de outubro de 2015

“Se do nada, nada vem, como Deus criou do nada?” - Uma Resposta


Uma objeção comum ao Argumento Cosmológico Kalam é a questão, “se do nada, nada vem, como Deus criou a partir do nada?” Como algo imaterial pode criar algo material? Como algo causa sem causa material? Tentaremos responder...

“Se do nada, nada vem, como Deus criou do nada?”


Diferença entre causa eficiente e causa material


Aristóteles distinguia entre quatro tipos de causa:

Causa material – O material que compõe o objeto
Causa formal – A forma do objeto
Causa eficiente – Aquilo que traz o efeito, a fonte primaria
Causa final – O objetivo final do objeto

No caso, vamos olhar pra causa material e causa eficiente.
Considere por exemplo, a estatua Davi, de Michelangelo. O mármore é a causa material, enquanto Michelangelo é a causa eficiente.

Causa material pro universo?


No caso do universo, o modelo padrão do Big Bang nos diz que não havia matéria antes da singularidade. Como John Barrow e Frank Tipler apontaram:

“Nessa singularidade, o espaço e o tempo começaram a existir. Não havia literalmente coisa alguma antes da singularidade; portanto, se o universo teve origem em tal singularidade, teríamos então uma criação ex nihilo.” [John Barrow e Frank Tipler, “The Anthropic Cosmological Principle”, p. 442]

Físico Paul Davis também diz que “o Big Bang representa o evento da criação; a criação não só de toda a matéria e de toda a energia do universo, mas do próprio espaço-tempo.” [Paul Davis, “Spacetime singularities in cosmology”, em “The Study of Time”, pp. 78-79]
O que isso nos diz? Bom, se a matéria teve um inicio, então é logicamente impossível que a matéria seja a causa inicial da matéria. Pois ela teria que existir antes de existir. Como Deus criou matéria a partir do nada? Nem ideia. Mas se nós temos bons motivos para crer que Ele o fez, não é necessário saber como Ele fez. Por exemplo, a maioria dos cosmólogos de verdade crê que houve uma fase inicial de inflação no universo, onde a expansão teve um grande aumento rápido e depois voltou a ficar mais “lenta”. Mas não sabem por que essa inflação acelerada começou e parou no exato momento em que parou. Mas isso não significa que a inflação não aconteceu. Temos bons motivos pra crer que ela aconteceu, nos baseando na radiação cósmica de fundo.

Temos alguma razão para crer que Deus criou o universo?


Como causa do tempo, espaço e matéria, a causa do universo deve ser atemporal, imaterial e não-espacial. Ou seja, uma causa transcendente do universo. Alem disso, ela plausivelmente deve ser um agente pessoal. Pense nisso: Essa causa esteve em um estado permanente antes do universo. Se ela não pode escolher cria-lo a 14 bilhões de anos, então por que o criou? Por exemplo, uma estatua de um homem sentado nunca se levantaria. Mas se essa estatua na verdade for uma pessoa, com livre arbítrio, então ela pode escolher quando quiser se levantar. Então, temos uma causa pessoal e transcendente do universo, que é o que todo mundo conhece como Deus.

A alternativa do Idealismo Cristão


Idealismo Cristão, ou Pananteismo, é uma visão que diz que Deus criou o universo com a mente. Quer dizer, somos uma simulação criada pela mente de Deus. De fato, essa alternativa é tentadora, e pode ser considerada como conclusão das recentes descobertas da mecânica quântica.

Temos exemplos de criatio ex nihilo?


Exemplos mesmo creio que não temos. Embora, alguns ateus creiam que partículas quanticas vem do nada, na verdade elas vem do vácuo quântico. Talvez possamos dizer que nossos pensamentos possuem uma causa eficiente, mas não material. Também podemos dizer que o universo expandindo esta criando espaço a partir do nada. Mas acho que exemplos mesmo não podemos dizer que temos.

Conclusão


O universo precisa de uma causa eficiente. A alternativa ateísta de que o universo não teve nem causa eficiente nem material é absurda. Eles podem tentar dizer que o universo é eterno, mas não existe evidencia disso. Todas as evidencias apontam para um inicio absoluto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário