sábado, 1 de agosto de 2015

Criacionismo Progressivo #16 - Haviam mortes antes do pecado de Adão?

Imagem escolhida pra evitar "dó"

Talvez o ponto mais controverso para o Criacionismo de Terra Antiga e qualquer forma de Criacionismo de Terra Antiga, seja a questão de mortes antes do pecado de Adão. Porem, como veremos, não existe absolutamente nenhum versículo em toda a Bíblia que diga que não haviam mortes antes do pecado. (Como foi colocado nesse outro texto, "muito bom" não exclui mortes.)

Haviam mortes antes do pecado de Adão?


Gênesis 29-30


“Disse Deus: ‘Eis que lhes dou todas as plantas que nascem em toda a terra e produzem sementes, e todas as árvores que dão frutos com sementes. Elas servirão de alimento para vocês. E dou todos os vegetais como alimento a tudo o que tem em si fôlego de vida: a todos os grandes animais da terra, a todas as aves do céu e a todas as criaturas que se movem rente ao chão’. E assim foi.” - Gênesis 1:29-30

Temos que pensar que animais são seres irracionais. Eles são incapazes de pecar. Deus pode ter dado permissão para os animais comerem das plantas, mas não os proibiu de comer carne. Alguns podem objetar, “bom, mas se podiam comer carne, então por que Deus repetiu a ordem para Noé?” Deus só deu a ordem a Noé e sua família. A partir daquele momento, humanos modernos podiam comer carne. (De qualquer forma, isso não é uma Lei Moral.)
Não apenas isso, mas tudo o que é dito Gênesis por Deus é dito no Jardim do Éden. O Éden era um lugar especial, e as Escrituras deixam claro que Deus criou esse Jardim como um lugar diferente do resto do mundo. Também devemos notar que esse verso, se for levado literalmente, faria com que Deus entrasse em contradição com Ele mesmo. O verso diz que Deus deu "todas as plantas e todas as arvores". No entanto, Gênesis 2:17 diz que Deus proibiu Adão e Eva de comerem da arvore do bem e do mal.

Gênesis 3:17


E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. Espinhos, e cardos também, te produzirá; e comerás a erva do campo. Gênesis 3:17, 18

“Maldita é a terra toda, todos os animais e tudo que vive”? Mesmo? É isso que diz? A palavra hebraica para “terra” aqui é “Adamah”, que significa literalmente “terra”. Onde se plantam coisas. Mas na maioria das vezes é traduzido como “terra” no sentido de região. Veja o verso com calma:

...com dor comerás dela todos os dias da tua vida
Espinhos, e cardos também, te produzirá
e comerás a erva do campo

Todo o ponto aqui é que Adão teria que parar de comer o que Deus plantou, sendo jogado fora do Jardim e tendo que plantar a própria comida.

O nome dos animais


Outra coisa que precisa ser dita é que os nomes que Adão deu aos animais sugere que eles eram carnívoros. Como dito antes, as pessoas daquela cultura sempre olhavam bem as caracteristicas do que estavam nomeando. No Hebraico original, os animais tem os nomes:

Leão (‘arly) – senso de violência
Falcão (nets) – Ave imunda de presa
Águia (nesher) – dilacerar

Poderia ser respondido que "Adão não falava hebraico, mas falava alguma língua perdida". Se isso for verdade, temos que crer que Adão nomeando os animais foi uma futilidade, e o Espírito Santo falhou em conservar os nomes dados aos animais no Antigo Testamento hebraico. Alem disso, temos razões para crer que Adão falava hebraico ou algo similar. Veja essa passagem:

E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher (Isha), porquanto do homem (Ish) foi tomada. - Gênesis 2:23

Se Adão não falava Hebraico ou alguma língua similar, então por que a nomeação da “mulher” é enfatizada aqui dessa forma, dizendo que veio do homem? Ish nomeou a mulher Isha. Por que isso é colocado aqui? Essa passagem não esta dizendo apenas que o homem nomeou a mulher, mas que ela se chama Isha pois veio do Ish e os nomes são parecidos.
Não há nenhuma evidencia bíblica de que os animais carnívoros mudaram apenas depois da queda. Se tivesse havido apenas um dia, nem a microevolução e nem o pecado poderiam ter afetado os animais dessa forma. Alem disso, se Deus tivesse mudado os animais depois da queda, isso iria contradizer a Bíblia, que diz que Deus parou seu trabalho depois do sexto dia.
A Bíblia nos diz também que no sexto dia Deus deve ter criado pelo menos alguns animais carnívoros. Gênesis 1:24-25 diz:

“E disse Deus: "Produza a terra seres vivos de acordo com as suas espécies: rebanhos domésticos, animais selvagens e os demais seres vivos da terra, cada um de acordo com a sua espécie". E assim foi. Deus fez os animais selvagens de acordo com as suas espécies, os rebanhos domésticos de acordo com as suas espécies, e os demais seres vivos da terra de acordo com as suas espécies. E Deus viu que ficou bom.” - Gênesis 1:24-25

A palavra usada para animais em Gênesis 1:24-25 é “chayah”. Apesar o texto não dizer se esses animais eram carnívoros ou herbívoros, podemos examinar a Bíblia e seu uso da palavra “chayah”:

Herbívoros: Êxodo 23:11; Levítico 25:7; Números 35:3; Isaías 40:16

Carnívoros: Gênesis 37:20; Gênesis 37:20; Êxodo 23:29; Levítico 11:27, Levítico 11:27; Levítico 26:6; Levítico 26:22; Deuteronômio 7:22; 1 Samuel 17:46; 2 Samuel 21:10; Jô 5:22-23; Jô 37:8; Jô 38:39; Salmos 74:19; Salmos 79:2; Salmos 104:20; Isaías 35:9; Isaías 43:20; Jeremias 12:9; Ezequiel 5:17; Ezequiel 29:5; Ezequiel 34:5; Ezequiel 34:28; Ezequiel 14:15; Ezequiel 32:4; Ezequiel 34:8; Ezequiel 39:4; Ezequiel 14:21; Ezequiel 33:27; Ezequiel 34:25; Ezequiel 39:17; Oseias 2:12; Oseias 13:8

A gigantesca maioria do uso de “chayah” é para animais carnívoros. Gênesis claramente diz que eles foram criados no inicio, já que os herbívoros são citados separadamente logo antes. Se todos os animais fossem herbívoros, não haveria porque citar ambos separadamente.

Evidencia Bíblica de que a morte de animais não é imoral


Dizer que a Bíblia diz que a “criação muito boa” de Deus não tinha animais carnívoros contradiz o livro de Jó e os Salmos:

"É você que caça a presa para a leoa e satisfaz a fome dos leões, quando se agacham em suas tocas ou ficam à espreita no matagal? Quem dá alimento aos corvos quando os seus filhotes clamam a Deus e vagueiam por falta de comida? [...] É porque você manda, que a águia se eleva, e no alto constrói o seu ninho? Um penhasco é sua morada, e ali passa a noite; uma escarpa rochosa é a sua fortaleza. De lá sai ela em busca de alimento; de longe os seus olhos o vêem. Seus filhotes bebem sangue, e, onde há mortos, ali ela está." - Jó 38:39-41; 39:27-30

“Trazes trevas, e cai a noite, quando os animais da floresta vagueiam.Os leões rugem à procura da presa, buscando de Deus o alimento,mas ao nascer do sol eles se vão e voltam a deitar-se em suas tocas.Então o homem sai para o seu trabalho, para o seu labor até o entardecer.Quantas são as tuas obras, Senhor! Fizeste todas elas com sabedoria! A terra está cheia de seres que criaste.” - Salmos 104:20-24

Podem responder “bom, mas isso é depois do pecado.” Porem, aqui é Deus fazendo. Sendo antes ou depois, se é errado, por que Deus, que não pode pecar, faria isso?
Deus aprova a morte de animais:

"Abel, por sua vez, trouxe as partes gordas das primeiras crias do seu rebanho. O Senhor aceitou com agrado Abel e sua oferta" - Gênesis 4:4

 "Não ofereçam o sangue de um sacrifício feito em minha honra com pão fermentado. A gordura das ofertas de minhas festas não deverá ser guardada até a manhã seguinte." - Êxodo 23:18

O próprio Deus matou um animal para vestir Adão e Eva:

"O Senhor Deus fez roupas de pele e com elas vestiu Adão e sua mulher." - Gênesis 3:21

Deus alimenta os carnívoros:

"É você que caça a presa para a leoa e satisfaz a fome dos leões" - Jó 38:39
"Quem dá alimento aos corvos quando os seus filhotes clamam a Deus e vagueiam por falta de comida?" - Jó 38:41

"Os leões rugem à procura da presa, buscando de Deus o alimento" - Salmos 104:21
"Eis o mar, imenso e vasto. Nele vivem inúmeras criaturas, seres vivos, pequenos e grandes. Nele passam os navios, e também o Leviatã, que formaste para com ele brincar.Todos eles esperam em ti para que lhes dês o alimento no tempo certo" - Salmos 104:25-27 

"Observem os corvos: não semeiam nem colhem, não têm armazéns nem celeiros; contudo, Deus os alimenta. E vocês têm muito mais valor do que as aves!" - Lucas 12:24

Podem argumentar que Deus mudou por causa da criação caída, mas isso seria dizer que Deus é moralmente mutável, o que não é uma boa alternativa. Outra resposta é a que "Deus agia diferente, isso é anacronismo". No entanto, uma coisa é agir diferente com um determinado povo em determinada época sob determinadas circunstancias. Mudar a natureza dos animais simplesmente porque dois seres humanos comeram uma fruta não me parece um ato de um Deus justo. Pense nisso: se os animais não tivessem os propósitos da biosfera que funciona com mortes desde principio, por que Deus mudaria tudo isso apenas porque dois humanos pecaram? Se Deus tivesse criado os animais totalmente vegetarianos desde o principio, não haveria motivo para mudar sua natureza, ja que se a biosfera funcionava dessa forma, não deveria afetar os humanos. A melhor explicação é a de que esse sistema predador dos animais ja estava presente desde o inicio, e é assim que o ecossistema "muito bom" de Deus funciona.

Argumentos Teológicos


A idéia de que todo o mal veio pelo simples pecado de Adão não apenas torna Deus em injusto como também nos faz esquecer da confissão.
Com respeito ao primeiro problema, seria extremamente injusto se o fato de Adão e Eva pecarem transformasse animais herbívoros em carnívoros, trouxesse terremotos, tsunamis, nevascas, etc. O pecado foi de Adão e Eva, não do mundo nem dos animais. Animais são seres moralmente inculpáveis. Então, eles sofrerem a morte por um pecado nosso (ou só de Adão e Eva) tornaria Deus em alguém injusto.
Podemos argumentar:

  1. Se animais não morriam antes da queda, então sua morte é resultado do pecado.
  2. Animais são incapazes de pecar (eles não têm culpa)
  3. Portanto, sua morte seria o resultado do pecado de agentes moralmente culpáveis.

Então, se não haviam mortes antes da queda, Deus colocou a morte no reino animal como castigo por algo que os animais não fizeram e não tem culpa. Portanto, Deus seria injusto.
Segundo, dizer que o mal veio “por meio de Adão” tira a necessidade de Cristo em nossas vidas. Adão e Eva pecaram e eles culparam um ao outro e a Serpente. E nós, ao invés de assumir que a culpa do mundo caído é nossa, culpamos Adão e Eva por comer uma fruta. A Bíblia nos diz para confessarmos nossos pecados a Deus e nos arrependermos, não para culparmos nossos pais primitivos pelo mal do mundo.
Mas espere: Por que Deus criaria um mundo assim? Bom, o que me vem a mente é que Deus criou o mundo imperfeito para os humanos imperfeitos pois sabia que nós pecaríamos, já que é logicamente impossível fazer seres livres sem a capacidade de fazerem escolhas.

1 Coríntios 15:21-22


Criacionistas de Terra Jovem vão dizer que 1 Coríntios 15 diz que a morte veio por Adão:

Visto que a morte veio por meio de um só homem, também a ressurreição dos mortos veio por meio de um só homem. Pois da mesma forma como em Adão todos morrem, em Cristo todos serão vivificados. - 1 Coríntios 15:21-22

No entanto, o verso apenas diz que, assim como a morte veio por Adão, a ressurreição veio por Cristo. O verso claramente nos diz que a morte veio ao ser humano, já que é obvio que animais não “serão vivificados” pela morte de Cristo.

Romanos 8:18-22


Outro texto usado para argumentar que não haviam mortes antes da queda é Romanos 8:20-22, que diz:

Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.
Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus.
Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou,
Na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.
Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora.
Romanos 8:18-22

O problema aqui é que a interpretação correta esta alem do texto. O pecado de Adão e a Queda não são diretamente mencionados, e a morte dos animais nem se quer é mencionada. O contexto completo de Romanos 8 nos fala sobre a glorificação da raça humana e a esperança que a criação seja libertada da queda. A “vaidade” da criação é “fragilidade, vazio e transitoriedade” que serão limpos quando a criação atual for substituída pela nova criação. O que Paulo esta dizendo é que nós corrompemos a natureza. Por nossa causa, há um numero maior de extinção. Por nossa causa, seres humanos também são enterrados na terra. Nós acabamos com o eco sistema. É nesse sentido que o texto diz que "a natureza criada geme" e que a natureza "foi submetida a futilidade".
Teólogo do Antigo Testamento, Meredith Kline, argumenta que, nessa passagem, Paulo esta se referindo ao estado presente da criação, como ela esta sujeita a ser um cemitério de seres humanos. [Meredith Kline, "Death, Leviathan, and the Martyrs: Isaiah 24:1-27:1," em A Tribute to Gleason Archer, ed. Ronald F. Youngblood] Ele sugere que Paulo esta fazendo uma referência a Isaías 24-26:

A terra pranteia e se murcha; o mundo enfraquece e se murcha; enfraquecem os mais altos do povo da terra.
Na verdade a terra está contaminada por causa dos seus moradores; porquanto têm transgredido as leis, mudado os estatutos, e quebrado a aliança eterna.
Por isso a maldição tem consumido a terra; e os que habitam nela são desolados; por isso são queimados os moradores da terra, e poucos homens restam. [...]
Os teus mortos e também o meu cadáver viverão e ressuscitarão; despertai e exultai, os que habitais no pó, porque o teu orvalho será como o orvalho das ervas, e a terra lançará de si os mortos. [...]

Porque eis que o Senhor sairá do seu lugar, para castigar os moradores da terra, por causa da sua iniqüidade, e a terra descobrirá o seu sangue, e não encobrirá mais os seu mortos. - Isaías 24:4-6; 26:19; 21

Lee Irons segue essa passagem e Kline dizendo:

“A metáfora do lamento da criação de Paulo, enquanto espera com expectativa pela ressurreição das pessoas direitas, parece ter sido tirada de Isaías. Isaías diz que ‘a terra esta de luto’ (Isaías 24:4), porque foi feito para ‘cobrir os seus mortos’. Isso então prepara o território para a profecia de Isaías da ressurreição dos mortos. De fato, é precisamente a ressurreição dos mortos que será a entrega da criação de seu serviço recrutado como o cemitério da humanidade. A criação se tornará o lugar renomado dos santos glorificados.” [Reasons to Believe, “Animal Death Before the Fall: What Does the Bible Say?”]

A palavra grega para "criação" é ktizis, que significa criação ou criaturas, dependendo do contexto. No caso, para qualquer um que ler Romanos 8 completamente, verá que o contexto é, como mencionado acima, a glorificação do homem. Note que o versículo 19 fala da "manifestação dos filhos de Deus". Então, de cara ja tem um sentido antropocêntrico.
Os versículos 22 e 23 também parecem indicar que Paulo, quando se refere à "criaturas" esta falando dos gentios. Sobre o versículo 22, o Comentário Bíblico Adam Clarke diz:

“A primeira é a frase, pasa h ctisix, que nós colocamos como toda a criação, Romanos 8:22, e que aparece mais duas vezes no Novo Testamento. Marcos 16:15: Pregue o Evangelho, pash th ctisei, para toda criatura; e Colossenses 1:23: O Evangelho foi pregado, em pash th ctisei, a toda criatura. Agora, é suficientemente aparente o que é comunicado por pasa ctisix em ambos os lugares. Todas as nações, ou o mundo pagão. Pois aquilo que em São Marcos é, pregue o Evangelho a toda criatura, é, em São Mateus, vá e ensine, pania ta eqnh, a todas as nações. Nessa mesma frase e nesse lugar clama para essa mesma interpretação. E o Hebraico col habberioth, que corresponde ao grego pasa h ctisix, toda criatura, é aplicado pelos Judeus para se referir aos Gentios, e isso em oposição à Israel” [Adam Clarke’s Commentary on the Bible]

Versículo 23 diz:

E não só isso, mas nós mesmos, que temos os primeiros frutos do Espírito, gememos interiormente, esperando ansiosamente nossa adoção como filhos, a redenção do nosso corpo. - Romanos 8:23

Note que Paulo diz que eles são os primeiros frutos do Espirito. Sabemos que o Evangelho foi pregado primeiro aos Judeus (Romanos 1:16). E também sabemos que os primeiros frutos são referidos em outras partes como os primeiros frutos (Tiago 1:18; Apocalipse 14:4). John Gill diz:

“Romanos 8:23 – E não apenas eles, mas nós mesmos também,... Não apenas eles Gentios, mas nós Judeus também: que temos os primeiros frutos do Espírito: significa que ou os apóstolos, que eram todos Judeus, e que a maioria deles recebeu os dons extraordinários do Espírito no dia do ‘Pentecoste’, que era o dia dos primeiros frutos, Números 28:26; o qual parece ter uma alusão aqui; ou ainda os Judeus convertidos em geral: aos Judeus as promessas do Messias estavam feitas; a eles ele veio primeiro; o Evangelho foi pregado primeiro a eles, e alguns deles primeiro creram em Cristo” [John Gill’s Commentary on the Bible] 

Então, ao que parece, o texto esta se referindo ao contraste entre Judeus e Gentios, que ambos receberam o Evangelho e, aqueles que crerem, serão glorificados.

Romanos 5:12


Vamos ver o que o Apostolo Paulo diz em Romanos 5:12:

 Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram; - Romanos 5:12

Existem duas palavras gregas para "mundo":
“kosmos” – mundo, universo ou a humanidade. (ex: João 1:29; 3:16)
“oikoumene” – O planeta Terra. (ex: Lucas 4:5)
Nesse verso em Romanos, a palavra "kosmos" é usada para mundo, então, claramente se refere a humanidade. Alem disso, obviamente existia pecado antes de Adão: Satanás pecou! E Eva pecou pouco antes de Adão!
Repare também que esse verso apenas diz que a morte veio a todos os homens, não a todas as coisas vivas. A palavra pra "homens" é "anthropos", que inclui apenas seres humanos. Seria impossível a morte chegar a todas as coisas vivas, já que Deus ordenou que Adão e Eva comecem coisas vivas. A morte de plantas não pode ser resultado do pecado, já que Deus permitiu a morte das plantas para o homem comer.

Plantas morrem?


Alguns Criacionistas de Terra Jovem chegam ao absurdo de dizer que "plantas não são seres vivos", pois a elas não é atribuída a expressão nephesh chayyah. A palavra hebraica “chay” é traduzida como ‘vivente”. Apesar de dizerem que apenas se refere a animais e humanos, ela é usado onze vezes se referindo a água (alguns exemplos em Cânticos 4:15, Gênesis 26:19, Levítico 14:5)
Há versos na Bíblia que se referem a plantas como seres vivos:

Por isso nenhuma outra árvore junto às águas chegará a erguer-se orgulhosamente tão alto, alçando o seu topo acima da folhagem espessa. Nenhuma outra árvore igualmente bem regada chegará a essa altura; estão todas destinadas à morte, e irão para baixo da terra, entre os homens mortais, com os que descem à cova. - Ezequiel 31:14

Esse verso, alem de dizer que as arvores morrem, compara com a morte de seres humanos.

Quando sitiarem uma cidade por um longo período, lutando contra ela para conquistá-la, não destruam as árvores dessa cidade a golpes de machado, pois vocês poderão comer as suas frutas. Não as derrubem. Por acaso as árvores são gente, para que vocês as sitiem? - Deuteronômio 20:19

Eu era como um cordeiro manso levado ao matadouro; não tinha percebido que tramavam contra mim, dizendo: 'Destruamos a árvore e a sua seiva, vamos cortá-lo da terra dos viventes para que o seu nome não seja mais lembrado' - Jeremias 11:19

A palavra hebraica para “destruir” nesses versos é “shachath”, a mesma palavra que Deus usou em Gênesis 6:13 e outros versos relacionados ao dilúvio para dizer o que ele vai fazer com os humanos que se rebelaram. Também é a mesma palavra usada para descrever o que Deus faria em Sodoma e Gomorra em Gênesis 13:10. A mesma palavra também é usada para dizer o que Deus fez aos primogênitos egípcios durante o julgamento. E, em Juízes 20 a mesma palavra é usada para dizer o que aconteceu nas batalhas entre os Israelitas e Benjamitas onde 65.000 homens foram “destruídos”. Então, claramente as plantas são tratadas como seres vivos.
Isaías disse também:

Porque as águas de Ninrim secaram-se, a pastagem secou-se e a vegetação morreu; todo o verde desapareceu! - Isaías 15:6

A palavra aqui usada para “morreu” é “kalah”. Vejamos como essa palavra é usada no Antigo Testamento:

Deixe-me agora, para que a minha ira se acenda contra eles, e eu os destrua [kálah]. - Êxodo 32:10

E o enviou numa missão, ordenando: ‘Vá e destrua completamente aquele povo ímpio, os amalequitas; guerreie contra eles, até que os tenha eliminado [kálah]’ - 1 Samuel 15:18

Eu os espalharei entre nações que nem eles nem os seus antepassados conheceram; e enviarei contra eles a espada até exterminá-los [kálah] - Jeremias 9:16

Então, o uso de káláh claramente indica morte de plantas. Também, em muitas passagens a morte de plantas é comparada a morte de humanos:

Poderá o papiro crescer senão no pântano? Sem água cresce o junco? Mal cresce e, antes de ser colhido, seca-se, mais depressa que qualquer grama. Esse é o destino de todo o que se esquece de Deus; assim perece a esperança dos ímpios. - Jó 8:11-13

Para a árvore pelo menos há esperança: se é cortada, torna a brotar, e os seus renovos vingam. Suas raízes poderão envelhecer no solo e seu tronco morrer no chão; ainda assim, com o cheiro de água ela brotará e dará ramos como se fosse muda plantada. Mas o homem morre, e morto permanece; dá o último suspiro, e deixa de existir. - Jó 14:7-10

Não se aborreça por causa dos homens maus e não tenha inveja dos perversos; pois como o capim logo secarão, como a relva verde logo murcharão. - Salmos 37:1-2

Isaías 11:6-9; 65:25


Outro argumento usado vem de Isaias:

“Morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará; e o bezerro, e o leão novo e o animal cevado viverão juntos; e um menino pequeno os conduzirá. A vaca e a ursa pastarão juntas, e as suas crias juntas se deitarão; e o leão comerá palha como o boi. A criança de peito brincará sobre a toca da áspide, e a desmamada meterá a sua mão na cova do basilisco. Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte; porque a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar. [...] O lobo e o cordeiro juntos se apascentarão, o leão comerá palha como o boi; e pó será a comida da serpente. Não farão mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o Senhor.” - Isaías 11:6-9; 65:25

O argumento é o de que, como animais carnívoros são ser transformados em herbívoros no fim do mundo, então é possível que antes da Queda eles fossem herbívoros. No entanto, é incorreto dizer que o estado escatológico do mundo será apenas o retorno ao mundo pré-Queda. No Éden havia casamento, satanás livre, a arvore do bem e do mal e um espaço bem limitado. Mas no céu não haverá nada disso.

Objeção – Isso coloca o caráter de Deus em jogo?


Como argumentado acima, a visão de que Deus puniu animais inocentes por causa do pecado de Adão torna Deus injusto. Alguém pode pressionar “Mas Deus permitiu a morte por muito tempo!” Bom, a morte existe até hoje. A resposta pra isso é a mesma do problema do mal e do sofrimento: Deus pode ter razões morais o suficiente para ter criado assim. Somo extremamente limitados e não podemos dizer que não é esse o caso.
Alem disso, podemos argumentar que animais não tem auto-consciência. O filosofo Michael Murray se dedicou a essa objeção em seu livro “Nature Red in Tooth and Claw”. Murray distingue três níveis de reconhecimento de dor no mundo animal:

Nível 3 – é o mais baixo, é simplesmente a informação chegando a estados neurais que são produzidos por estímulos nocivos que resulta em comportamento aversivo. . Então isso seria apenas a atividade neural que resulta em comportamento aversivo – você cutuca uma ameba com uma agulha e ela s recolhe. Mas a ameba não experimenta nenhum tipo de dor, apenas responde ao estimulo.

Nível 2 – É o reconhecimento da dor que ocorre no animal sensível. Então cavalos, cachorros e gatos têm uma experiência de dor.

Nível 1 – Este é o nível mais alto, que seria o maior tipo de reconhecimento que alguém experimenta em si mesmo. O reconhecimento próprio da dor do Nível 2.

O que Murray percebe é que, apesar de animais como aranhas e insetos exibis o Nível 3 de “dor” ou reação ao estimulo, não a razão para atribuí-los qualquer tipo de reconhecimento de dor do Nível 2 para esses organismos. O Nível 2 aparece apenas no reino animal. Mas mesmo que vertebrados ou animais maiores experimentem o Nível 2, não há evidencia de que eles experimentem o Nível 3. Então, apesar de um animal sentir a dor, ele não tem consciência de que esta sentindo dor. Isso porque animais não são seres com consciência própria. Eles não pensam em primeira pessoa (“eu penso isso”, “eu acho que esse é meu alimento”, “eu acho que vou fazer isso ou aquilo”). [Michael Murray, “Nature Red in Tooth and Claw: Theism and the Problem of Animal Suffering”]
Biologicamente falando, estar consciente de si próprio é um atributo no terceiro nível de dor para eles. Mas não há evidencias de que animais são conscientes de si próprios. Autoconsciência parece estar ligada de alguma forma ao córtex préfrontal do cérebro, que esta ou faltando ou em desenvolvimento em todos os animais, exceto os primatas humanóides. Então, mesmo que animais sintam dor, eles não estão cientes de que eles mesmos estão com dor. [Reasonable Faith, “Defenders – Creation and Evolution (Part 20)”]

Estamos na primeira ou na segunda criação?


E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. – Apocalipse 21:1

Se o universo foi modificado com o pecado de Adão, então ja não deveríamos estar no segundo céu e segunda terra? Mas Apocalipse diz claramente que nós estamos no primeiro céu e primeira terra. Pense nisso: Criacionismo de Terra Jovem ensina:

Mundo antes da queda
Mundo depois da queda
Novos céus e nova terra
Primeiro?
Segundo?
Terceiro?

Porém, Apocalipse ensina:

Mundo desde o início
Novos céus e nova terra
Primeiros céus e terra
Nova criação

Então, o Criacionismo de Terra Jovem parece ser bem não-bíblico. Como argumenta David Snoke:

“Apocalipse 21:1 diz que o ‘primeiro’ céu e terra passarão quando o novo céu e nova terra forem criados – não o ‘segundo’. Em outras palavras, o céu e terra de Gênesis 1 (apresentados em Gênesis 1:1) estão colocados juntos com nosso céu e terra presentes, como uma unidade que vai ser destruída quando Cristo voltar para fazer todas as coisas novas. Não há qualquer menção na Escritura de uma mudança física radical do mundo na queda. Existem apenas duas histórias de criação na Bíblia – Gênesis 1 e Apocalipse 21” [David Snoke, A Biblical Case for na Old Earth, kindle pos. 644, p. 53, 21%]

Conclusão


Em suma, nenhuma parte da Bíblia diz que não haviam mortes físicas e de animais antes do pecado de Adão e Eva. Toda a morte mencionada é espiritual. Até mesmo o Criacionista de Terra Jovem, John MacArthur diz:

“Espiritualmente, nossos primeiros pais morreram no mesmo dia que eles provaram da fruta proibida. Mas fisicamente, suas vidas foram graciosamente prolongadas.” [John MacArthur, “The Battle for the Beginning: Creation, Evolution, and the Bible”, pp. 56, 98.]

E Archer diz:

“A morte que tomou a culpa naquele dia foi apenas espiritual; morte física não veio até séculos depois... Eles foram mergulhados imediatamente em um estado de morte espiritual.” [Archer, “Encyclopedia of Bible Difficulties”, pp. 72-73]

E São Tomas de Aquino concluiu:

“A natureza de animais não foi mudada pelo pecado do homem.” [São Tomas de Aquino. Summa Theologica, Parte 1, Questão 93, Artigo 1. Artigo Online - http://www.newadvent.org/summa/1096.htm]

A pergunta “por que Deus faria assim?” é respondida facilmente: Deus, sabendo que nos separaríamos d'Ele, fez o universo com morte física e imperfeito, como um lugar temporário que será substituído. Em todo caso, parece que as Escrituras não são contra a ideia de que haviam mortes de animais e nem desastres naturais antes do pecado original. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário