terça-feira, 16 de junho de 2015

Teria o Apóstolo Paulo inventado/fundado o Cristianismo?


Uma objeção comum ao Cristianismo que os céticos trazem, é a de que Paulo inventou o Cristianismo, ou que ele mudou os ensinamentos do Jesus histórico. Seria esse o caso? Será mesmo que Paulo inventou o Cristianismo?


Teria o Apóstolo Paulo inventado/fundado o Cristianismo?


Origens do Argumento


Na metade do século 18, Ferdinand Christian Baur começou a tentar achar o inicio do Cristianismo em Paulo. Ele argumentava que o Cristianismo primitivo possuía duas idéias opostas, chamadas de Cristianismo Paulino e Cristianismo Pedrino.
Mais tarde, Nietzsche e alguns  teólogos tentaram dar avanço nessa idéia. Ele chegou a chamar Jesus de “idiota”, mas chamou o “Cristianismo de Paulo” de algo bem diferente do que eram os ensinamentos de Jesus.
Recentemente, essa idéia foi defendida por Hyam Maccoby (1986) e Gerd Ludemann (2002).

O Argumento


Críticos dizem que Paulo, apesar de dar ênfase na morte e ressurreição de Cristo, nunca menciona a família, os milagres, batismo, e outras coisas sobre Jesus. Ele também diz que recebeu o que recebeu “do Senhor”. Também seria melhor para Paulo citar Jesus para reforçar seus ensinos.

Respostas


O motivo das cartas Paulinas


Não é de se esperar que não hajam essas coisas nas cartas de Paulo. Ele esta escrevendo de forma ocasional, dirigindo-se a problemas das igrejas e a questões que as igrejas já haviam estabelecido. Não foram escritos para serem argumentos. Nenhuma das cartas de Paulo foi escritas para descrentes, mas sim para Cristãos, de forma que tenham como objetivo encorajar e corrigir os membros das igrejas. Por isso Paulo não precisava citar Jesus. Como David Wenham escreveu:

“[Paulo] e seus leitores já haviam sido ensinados e sabiam disso [ensinamentos de Jesus] muito bem. Em suas cartas, seu objetivo era discutir o que estava sendo discutido e não era claro, não repetir o que já era conhecido.” [David Wenham, “Paul: Follower of Jesus or Founder of Christianity?”, p. 5]

E como N. T. Wright complementou, o papel de Jesus e de Paulo eram bem diferentes no “drama escatológico” da história da salvação.  Ele diz:


“[Paulo não] repetiu o anuncio único do Reino a seus amigos Judeus. O que nós estamos procurando não é um paralelo entre duas mensagens abstratas. Mas sim a continuidade apropriada entre duas pessoas vivas, e conscientes, em pontos diferentes na tabua temporal escatológica.” [N. T. Wright, “What Saint Paul Really Said: Was Paul of Tarsus the Real Founder of Christianity?, p. 181]

Estudioso do Novo Testamento, James Dunn escreve que a “tradição de Jesus”, era “uma tradição viva, uma tradição que era evidentemente adaptável a necessidades diferentes em contextos diversos. [citado em ‘The Jesus Legend”, por Paul Rhodes Eddy e Gregory Boyd, PP. 229-230]

Paulo recebeu a tradição


Paulo usa palavras rabinísticas antigas em sua carta aos Coríntios. Ele diz:

Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras - 1 Coríntios 15:3

Paulo não poderia receber uma mensagem que ele mesmo havia originado. As palavras usadas aqui no original são palavras rabinísticas que indicam a passagem de um credo. Historiadores datam esse credo de no maximo cinco anos após a morte de Jesus, alguns datam de apenas alguns meses. Historiador Gary Habermas nos explica como sabemos que é um credo antigo, sendo transmitido por Paulo:

“Em primeiro lugar, Paulo apresenta o trecho com as palavras "recebi" e "transmiti", que são termos rabínicos que indicam a transmissão de uma tradição. Em segundo lugar [...] o paralelismo do texto e seu conteúdo estilizado mostram que se trata de um credo. Em terceiro lugar, o texto original usa Cefas para Pedro, que é seu nome aramaico. Na verdade, o próprio uso do aramaico indica uma origem muito antiga. Em quarto lugar, o credo contém diversas outras expressões antigas que Paulo não usava costumeiramente, como "aos Doze", "no terceiro dia", "ressuscitou" e outros. Em quinto lugar, certas palavras são usadas no estilo de narrativa do aramaico e do hebraico da Mishná.” [Gary Habermas, escrevistado por Lee Strobel em “Em Defesa de Cristo”]

Joachim Jeremias chama esse credo de “a tradição mais antiga de todas” e Ulrich Wilckens diz que “indubitavelmente remonta à fase mais antiga da história inicial do Cristianismo”. [Idem]
Outro ótimo ponto foi feito por Alex McFarland, presidente do Seminário Evangélico do Sul, que escreveu em um artigo em Dezembro de 2009:

“Saulo de Tarso – um perseguidor apaixonado da igreja – se tornou Paulo o crente por volta de 35 d.C. O livro de Atos (escrito por Lucas) registra a experiência de salvação de Paulo nos capítulos 9, 22 e 26. Em seus próprios escritos, Paulo também explica sua conversão a fé (1 Coríntios 9:1, 15:3-8, e Gálatas 1:11-18). De por volta de 48 d.C. até sua morte perto de 68 d.C. Paulo escreveu pelo menos 13 dos livros do Novo Testamento.”
“O fato de que Paulo originalmente se opôs e perseguiu a igreja prova que ele não poderia ter ‘inventado’ o Cristianismo. O uso das palavras ‘recebi’ e ‘transmiti’ por Paulo – termos rabinísticos para a transmissão de ensinamentos – é significante em 1 Coríntios 15:3-8. Relatando esses fatos sobre a morte e a ressurreição de Jesus, Paulo esta dizendo que o que isso apresenta é a verdade existente que ele mesmo recebeu. Estudiosos reconhecem que essa passagem contem um credo (ou afirmação de crença) antigo da igreja que era recitado por aqueles que acreditavam nos dias anteriores aos escritos do Novo Testamento. Outras Escrituras que preservam os credos verbais antigos Cristãos incluem 1 João 4:2, Filipenses 2:6, 2 Timóteo 2:8 e Romanos 1:3-4. Outra passagem notável é 1 Timóteo 3:16. Não apenas essa é uma confissão de fé, ela pode ter sido na verdade parte de um hino que era cantado pelos crentes antigos.”
“O ponto é esse: os ensinamentos do Evangelho (Jesus ser o Filho de Deus sem pecados; Ele morreu por nossos pecados e ressuscitou; nós recebemos Ele como Salvaor pelo arrependimento e fé) datam de antes de Paulo. Paulo ensinou essas coisas, expunha essas coisas, e era usado por Deus para escrever muito do Novo Testamento. Mas, o núcleo do Evangelho já era espalhado antes de Paulo ser um crente. Nas palavras finais de 1 Coríntios 15:8, Paulo parecia reconhecer que ele estava chegando tarde na festa.”
“Olhe para o sermão de Pedro em Pentecoste, encontrado em Atos 2:14-40. Pedro apresenta os fatos principais do Evangelho, incluindo a deidade, a morte e a ressurreição de Jesus. Pedro pregava a mesma verdade novamente em Atos 3:12-18. Em Atos 5:29-33, Pedro falou para os lideres Judeus, e novamente deu os fatos chave da mensagem Cristã. Em Atos 5:42, nós lemos, ‘E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus Cristo.’”

Jesus ensinou o mesmo que Paulo



Jesus ensinou
Paulo ensinou
Outros
Expiação por morte na cruz
Mateus 10:38, 16:24, 26:28
Marcos 8:34, 14:24
Lucas 9:23, 14:27, 22:20
João 12:32-33
1 Coríntios 1:18, 11:25
Efésios 2:8, 16
Colossenses 1:20, 2:14
João 1:29, 36
Atos 8:32
1 Pedro 1:18-19, 2:24
Apocalipse 5:12-14, 7:14
AT- Isaias 53:5-12
Crer em Jesus para ter a vida eterna
Mateus 19:29
Marcos 10:29-30
Lucas 9:24
João 3:16
Romanos 5:21, 6:23
Timóteo 1:16
Judas 1:21
Atos 11:17-18
1 João 5:11
AT – Jó 19:25-26
Justiça pela fé
Marcos 11:22
Lucas 7:50
Romanos 1:17, 3:22, 3:25-26, 4:3, 9, 11, 13, 5:17, 9:30, 10:4, 10
Gálatas 2:6, 11
Filipenses 3:9
Hebreus 11:4, 7, 2
Pedro 1:1
AT – Gênesis 15:6
Justificação pela fé
Lucas 7:50, 8:12
Marcos 16:16
João 3:18, 5:24
Romanos 3:28, 30, 5:1, 18
Gálatas 2:16, 3:8, 24
Tiago 2:23
AT – Gênesis 15:6, Isaias 53:11
Perdão dos pecados por fé
Mateus 9:2, 6, 26:27-28
Marcos 2:5, 10-11
Lucas 5:20

Atos 26:18
Efésios 1:7, 4:32
Colossenses 1:13-14, 2:13, 3:13
Atos 2:38, 5:31, 10:43, 13:38
Hebreus 10:18-20
Tiago 5:15
1 João 1:7-9, 2:12
AT – 2 Crônicas 7:14, Salmos 86:5
Arrependimento
Mateus 4:17
Marcos 1:15
Lucas 5:32, 13:3, 24:46-47
Romanos 2:4,
2 Coríntios 7:9-10
Atos 2:38, 17:30, 20:21
2 Pedro 3:9
AT – Isaias 1:27, Ezequiel 18:32

Paulo descreve o Jesus físico


Alguns céticos também têm tentado dizer que Paulo fala apenas de um “Jesus Celestial”. Porem, essa idéia é completamente sem fundamento.

Atributo Físico
Versos
Jesus veio ao mundo
1 Timóteo 1:15
Filipenses 2:5-8
Jesus foi visto por Paulo
1 Coríntios 9:1
Jesus era um homem
Romanos 5:15
1 Timóteo 2:5
Filipenses 2:5-8
Jesus era de carne
Romanos 1:3, 8:3, 9:5
2 Coríntios 5:16
Efésios 2:14-15
1 Timóteo 3:16
Jesus comia e bebia
1 Coríntios 11:23-25
Jesus sangrou
Romanos 3:24-25, 5:9
1 Coríntios 10:16, 11:25, 27
Efésios 1:7, 2:13
Colossenses 1:20
Jesus foi crucificado
1 Coríntios 1:13, 23, 2:2, 8
2 Coríntios 13:4
Gálatas 3:1
Filipenses 2:8
Jesus morreu
Romanos 5:6, 8, 10, 6:3, 5, 9-10, 8:34, 14:9, 15
1 Coríntios 8:11, 11:26, 15:3
2 Coríntios 5:14-15
Gálatas 2:21
Filipenses 2:8, 3:10
Colossenses 1:22
1 Tessalonicenses 4:14, 5:10
Jesus ressuscitou dos mortos
Romanos 1:4, 4:24-25, 6:4-5,9, 7:4, 8:11, 34, 9:17, 10:9
1 Coríntios 6:14, 15:4, 12-17, 20
2 Coríntios 4:14, 5:15
Gálatas 1:1
Efésios 1:20
Colossenses 2:12
1 Tessalonicenses 1:10, 4:14

Paulo também fala sobre outros ensinamentos de Cristo


Ensinamento
Paulo
Jesus
Parábola do semeador
1 Coríntios 3:6-10
Mateus 13:1-23
Tropeçando na pedra
Romanos 9:33
Mateus 18:7
Contra o divórcio
1 Coríntios 7:10
Marcos 10:11
Ajuda aos apóstolos
1 Coríntios 9:14
Lucas 10:7
Instituição da Ceia do Senhor
1 Coríntios 11:23-26
Mateus 26:26-28
Comandos a respeito dos profetas
1 Coríntios 14:37
Mateus 23:34
O retorno do Senhor
1 Tessalonicenses 4:15
Mateus 24:1-51
Benção dos perseguidos
Romanos 12:14
Lucas 6:27
Não pague o mal com o mal
Romanos 12:17, 1 Tessalonicenses 5:15
Mateus 5:38-48
Lucas 6:27
Pague taxas às autoridades
Romanos 13:7
Marcos 12:12-17
Não por tropeço
Romanos 14:13
Marcos 9:42
Nada é impuro
Romanos 14:14
Marcos 7:15
Ladrão na noite
1 Tessalonicenses 5:2
Lucas 12:39
Paz entre irmãos
1 Tessalonicenses 5:13
Marcos 9:50
Paz com todo mundo
Romanos 12:18
Marcos 9:50
Não julgue
Romanos 13:10
Lucas 6:37

Conclusão


Paulo não poderia ter originado a mensagem que passou, pois ele estava citando uma tradição antiga. Arriscar sua vida por algo que ele teria inventado também seria burrice. Alem disso, os ensinamentos que Paulo transmite são encontrados nos Evangelhos, sendo ditos por Jesus e também estão nas outras fontes do Novo Testamento e são ensinadas no Antigo Testamento. No fim, Paulo não inventou o Cristianismo. Ele apenas o transmitiu da melhor forma ao seu publico alvo: As Igrejas antigas.

Agradecimentos:


Catholic Answers – Did St. Paul Invent Christianity?
Tough Questions Answered – Did Paul Invent Christianity? Parte 1 e Parte 2

2 comentários:

  1. Quando iniciei minha pesquisa diletante acerca da origem do cristianismo, eu já tinha uma ideia formada que pode parecer esdrúxula: a perseguição aos judeus. Portanto, nada de Bíblia, teologia e história das religiões. Todos os que haviam explorado esse caminho haviam chegado à conclusão alguma. Contidos num cercadinho intelectual, no máximo, sabiam que o que se pensava saber não era verdade. É isso o que a nossa cultura espera de nós, pois não tolera indiscrições. Como o mundo não havia parado para que o Novo Testamento fosse escrito, o que esse mesmo mundo poderia me contar a respeito dessa curiosidade histórica? Afinal, o que acontecia nos quatro primeiros séculos no mundo greco-romano, entre gregos, romanos e judeus? Ao comentar o livro “Jesus existiu ou não?”, de Bart D. Ehrman, exponho algumas das conclusões as quais cheguei e as quais o meio acadêmico de forma protecionista insiste ignorar.

    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver

    ResponderExcluir
  2. Quando iniciei minha pesquisa diletante acerca da origem do cristianismo, eu já tinha uma ideia formada que pode parecer esdrúxula: a perseguição aos judeus. Portanto, nada de Bíblia, teologia e história das religiões. Todos os que haviam explorado esse caminho haviam chegado à conclusão alguma. Contidos num cercadinho intelectual, no máximo, sabiam que o que se pensava saber não era verdade. É isso o que a nossa cultura espera de nós, pois não tolera indiscrições. Como o mundo não havia parado para que o Novo Testamento fosse escrito, o que esse mesmo mundo poderia me contar a respeito dessa curiosidade histórica? Afinal, o que acontecia nos quatro primeiros séculos no mundo greco-romano, entre gregos, romanos e judeus? Ao comentar o livro “Jesus existiu ou não?”, de Bart D. Ehrman, exponho algumas das conclusões as quais cheguei e as quais o meio acadêmico de forma protecionista insiste ignorar.

    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver

    ResponderExcluir