terça-feira, 7 de abril de 2015

Criacionismo Progressivo #5 - Evidências Bíblicas Para "Dias" Longos


Nos últimos textos desta serie, eu apresentei uma defesa do significado de Yom como um longo período de tempo em Gênesis. Mas, mesmo Yom podendo ser um periodo longo, ainda é necessário dar uma razão positiva para que esses dias sejam longos. Existe tal razão? Bom, sim! E no próprio texto de Gênesis 1.

Evidencias Bíblicas para “dias” longos


Os Eventos do Terceiro Dia

O terceiro dia tem que ter durado mais do que 24 horas. O texto diz que Deus disse “que a terra produza” a vegetação, e no fim diz que “a terra produziu”. No entanto, esse processo pode levar até um ano ou mais. Alem disso, a palavra usada aqui é "dasha". Essa palavra, não apenas é usada para o crescimento das arvores, mas também para a produção de frutas. Alem disso, as plantas produziram sementes. A palavra hebraica aqui é "zera", que é comumente traduzida como descendentes. Então, não apenas as plantas cresceram e ficaram maduras, mas também produziram descendentes.  Esse processo levaria no minimo alguns anos. Alguns podem argumentar que “Deus acelerou o processo”. No entanto, não há nada no texto que indique isso, pelo contrario, o texto diz que Deus deixou a terra produzir a vegetação naturalmente. 
Existem duas possibilidades aqui:
1- Deus acelerou o processo (indo contra as palavras de Gênesis 1) para dizer “Eu que mando aqui, faço tudo assim mesmo”.
2- Deus se alegra ao interagir com Sua criação, deixando-a se desenvolver e olhando carinhosamente para o processo que Ele criou.
Qual Deus você vê na Bíblia?

Os Eventos do Sexto Dia

O numero de coisas que acontecem no sexto dia torna impossível ser um dia de apenas 24 horas. Nesse dia, Deus fez os mamíferos e a raça humana. Ele também plantou o jardim, cuidou dele, deixou-o crescer e colocou o homem nele. Então, Deus deu a Adão o trabalho de dar o nome a todos os pássaros, o gado e animais selvagens (Gênesis 2:19). Esse trabalho levaria dias, talvez semanas, não apenas pelo enorme numero de animais, mas também pelo fato de que, como vemos em outras partes da Bíblia, antes das pessoas darem um nome as coisas (filhos, lugares, etc), elas olhavam bem as características que esse lugar possui. Adão teria que nomear aproximadamente 10000 especies de pássaros, 5000 especies de mamíferos, 6000 anfíbios e 8000 repteis, sendo aproximadamente 10 espécies por minuto (considerando que Adão teve 24 horas). As coisas ficam mais difíceis para os Criacionistas de Terra Jovem: Se a Terra é recente, isso significa que Adão também teve que nomear todas as espécies que encontramos no registro fóssil, já que, para eles, não haviam mortes antes do pecado de Adão. Então, dando 24 horas para Adão, seriam 20 espécies por minuto. Mas, Adão não teve as 24 horas para tudo isso. Boa parte do tempo foi com ele dormindo para a criação de Eva. 
Quando Adão acordou, ele disse “pa´ãmâh”, que significa “Finalmente!”, com ênfase. Se Adão tivesse esperado apenas algumas horas, é bem improvável que essa palavra em hebraico tivesse sido usada. O contexto sugere que Adão esperou meses até a criação de Eva. Outras passagens que usam essa expressão "pa´ãmah" são Gênesis 29:34-35; 30:20; Êxodo 9:27; 10:17; Juízes 6:39; 15:3; 16:18; 16:28 em todas elas se refere a um período muito longo. Exceções a essa regra são Gênesis 18:32 e Juízes 6:39. Nessas passagens, o período é curto, porem, Abraão e Gideão estão discutindo com Deus ou buscando um sinal. No caso de Adão, alem do sono ele teve que buscar uma companheira enquanto nomeava os animais, até perceber que estava sozinho. Então, podemos concluir que ele esperou mais do que 24 horas.
Como Ken Ham (líder da maior comunidade de Criacionistas de Terra Jovem, Answers in Genesis) responde? Assim:

[1]

Em 6:00-7:00, esta escrito “Deus criou os animais da terra”. Isso mostra como ele reinterpreta as Escrituras para favorecer seu dogma. A palavra usada em Gênesis 1:25 não é “criou” (bara), mas sim “fez”. No original, é “asah”, que significa fazer algo a partir de algo que já existe. Gênesis 2:19 temos uma narrativa mais detalhada, porem, diz que Deus "formou" os animais. A palavra aqui é "Yatsar", que literalmente significa moldar
(Isso levanta algumas questões interessantes: Em Gênesis 1, Deus diz “que a terra produza” e em Gênesis 2, é dito que Deus moldou cada animal. A mesma palavra, “Yatsar” é usada quando a Bíblia diz que Deus nos forma no ventre de nossa mãe (Isaías 44:2; 24)  . Não seria possível que, a terra produziu a vida por ordem de Deus e Ele foi guiando cada processo de formação dos animais nos ventres e assim produzindo novas espécies?)
Agora, note em 8:00-9:00 que diz “Deus criou o jardim”. Novamente, isso é uma modificação do que o texto diz. Gênesis 2:8 diz que Deus plantou o jardim, não que Ele criou. É extremamente diferente uma coisa da outra. Já que no fim de Gênesis 2 e em Gênesis 3, o jardim já esta crescido, não pode ter sido um dia de 24 horas.
Outros podem responder que o numero de animais era menor, e que apenas por um processo de hiper-microevolução depois do diluvio que os animais apareceram em grande numero. Mas, não apenas tal argumento seria uma suposição ad hoc, como também ela incorre de petição de principio, ja que pressupõe no argumento que existia um numero menor de animais, sem qualquer evidência bíblica ou razão cientifica. É apenas uma suposição desnecessária para sustentar a eisegese de terra jovem.

Os Eventos do Sétimo Dia

Como mencionado em outro texto, o Sétimo Dia não termina com “houve a tarde e houve a manhã”. E tanto Salmos 95 quanto Hebreus 4 dizem que o descanso de Deus não acabou. Indicando que o Sétimo Dia ainda não terminou. Alguns podem dizer "Bom, mas Deus começou a descansar no sétimo dia, mas isso não significa que o sétimo dia continua, apenas o descanso". Porem, alem de eu já ter dado outras objeções a isso no texto sobre o assunto, veja a imagem de Deus que isso nos da: Um Deus que trabalha seis dias e descansa milhares de anos. Esse não é o exemplo de Deus dado em Êxodo 20:11. Deus trabalhou em seis eras de tempo indeterminado e descansa uma, até uma nova semana (ou oitavo dia) chegar. (Alguns Cristãos creem que o oitavo dia ja começou com a ressurreição de Cristo, mas isso ainda é discutido.) 
Um fato adicional interessante: A palavra para “dia” em Hebreus 4:4 é “heméra”, que também pode significar “era”, “tempo”, “ano” e “sempre”.

Conclusão

Os dias possuem eventos que tornam impossíveis de terem acontecido em 24 horas. Deus não é apenas o Criador, mas Ele interage com sua criação. Ele gosta de vê-la avançando. E mesmo como Sustentador, Ele faz com que as coisas aconteçam em sua velocidade natural. Deus não abusa de sua criação para mostrar poder. Ele interage com ela para mostrar que a ama. Ele ensinou Adão como cuidar da Terra. Mas Adão o desobedeceu comendo o fruto proibido. E isso nos leva ao assunto do próximo texto, ou melhor, de uma serie de textos nessa serie: Haviam mortes antes do pecado de Adão?

Fontes

[1] – Answers in Genesis, “Contradiction: Not Enough hours in the day”, https://answersingenesis.org/days-of-creation/not-enough-hours-in-the-day/

Um comentário:

  1. Sobre o Terceiro Dia:
    - Será mesmo que não há tempo? A Criação foi um evento miraculoso, não algo que pode ser reduzido a termos completamente naturais. E como está ali dito, Ele mandou a produção acontecer e aconteceu pela Sua vontade.

    Sexto Dia:
    - Não diga que Adão falava Hebraico... e outra coisa é que ele foi criado perfeito, e isso significa que muito provavelmente tinha capacidades superiores à nossa. E não é necessária toda essa paciência para nomear um animal (hoje sim, mas aquela foi a primeira vez!).

    Sétimo Dia:
    - Foi o fim do período Criativo, então obviamente não há uma continuação ("houve tarde e houve manhã").

    ResponderExcluir