terça-feira, 17 de março de 2015

O Ajuste Fino do Universo Para Descobertas


O Design de Deus vai alem da estrutura complexa do universo para permitir vida. Muitos cientistas, como Albert Einstein e Eugene Wigner argumentaram que a realidade física parece ser miraculosamente “certa” para que descobertas pudessem ser feitas.

O Ajuste Fino do Universo Para Descobertas


O que é

O universo possui um ajuste fino para descobertas, com nossa habilidade de descobrir os maiores domínios da realidade variando alguns dos parâmetros fundamentais da física. Domínios como: Cosmologia, microbiologia e a história passada da Terra. Mark Steiner disse que o mundo “parece ‘amigável ao usuário’. Isso é um desafia ao naturalismo” [1].

Exemplos de Ajuste Fino para Descobertas

A constante da estrutura fina é uma constante física que domina a força da força eletromagnética. Se fosse maior, a força eletromagnética seria mais forte, e se fosse menor, mais fraca. O menor aumento tornaria impossível fazer fogo com madeira, o que significa que metal não poderia ser usado para criar ferramentas, impossibilitando uma civilização cientifica.
Se formos na direção oposta, diminuindo a força eletromagnética um pouco, teríamos um problema com microscópios. “Coincidentemente” o poder máximo de solução de um microscópio leve é 0.2 micrômetros, e o da menor célula viva é 0.2 micrômetros. A única outra alternativa a esse microscópio é o microscópio de elétrons, que é muito caro e não pode ser usado para ver seres vivos. Alem disso, essa menor mudança faria com que transformadores elétricos e motores tenham sua eficiência decaída.
Outras constantes devem se manter precisas para que grandes coisas sejam descobertas, como a da datação radioativa, que tem papel crucial na geologia, arqueologia e paleontologia, dependem da densidade dos elementos radioativos na crosta do planeta onde observadores apareceriam. Se a força da gravidade fosse diminuída, a densidade dos elementos radioativos iria diminuir para impedir o numero de vulcões de uma área aumentando, o que diminuiria a possibilidade de vida.
Outro exemplo é a radiação de fundo cósmica. Por ter sua fonte no Big Bang, a RFC nos da informações importantes sobre a estrutura do universo. Físicos John Barrow e Frank Tipler, dizem:

“A radiação de fundo cósmica se tornou a ‘pedra Rosetta’ em que esta escrito o registro da história passada do universo no espaço e tempo” [2]

A radiação de fundo cósmica é evidencia empírica do Big Bang, que deixou os rastros de sua radiação no universo, que desviaram pro vermelho em uma região de microonda do espectro eletromagnético. Já que essa radiação já é fraca, isso implica que dentro dos limites, quanto mais intenso for, menores serão as flutuações que podem ser detectadas. Então, a radiação de fundo cósmica é a melhor ferramenta para o descobrimento do universo.
Albert Einstein disse:

“A coisa mais incompreensível sobre o mundo é que ele é compreensível” [3]

Eugene Wigner disse:

“O milagre da apropriação da linguagem da matemática para a formulação das leis da física é um maravilhoso presente que nós não entendemos e nem merecemos” [4]

Conclusão

Eu coloquei aqui o pouco que eu entendo sobre esse ajuste para descobertas. Se você quiser algo em um nível mais “acadêmico”, de uma lida (em inglês) nesse documento do filosofo e físico Robin Collins.

Fontes

[1] – Mark Steiner, “Mathematics as a Philosophical Problem”, p. 176
[2] – John Barrow e Frank Tipler, “The Anthropic Cosmológical Principle”, p. 380
[3] – Citado em Antonina Vallentin “Einstein: A Biography”, p 24
[4] – Eugene Wigner, “The Unreasonable Effectiveness of Mathematics in the Natural Sciences”, http://www.dartmouth.edu/~matc/MathDrama/reading/Wigner.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário