segunda-feira, 23 de março de 2015

Criacionismo Progressivo #2 - Yom + Numero/Ordinal = 24h?


Gênesis 1 ensina que tudo foi criado em seis dias literais de 24 horas? Ou seria possível que Gênesis 1-2 não esteja falando nada disso? O argumento dos Criacionistas de Terra Jovem é de que, quando “yom” é colocado com um numero ou ordinal (primeiro, segundo, terceiro, etc) sempre significa um período de 24 horas. Seria isso realmente verdade?

Yom+Numero/Ordinal=24h


A Palavra para “Dia” em Gênesis

A palavra usada para “dia” no original é “Yom”. E essa palavra tem vários sentidos literais, como:
“luz do dia” (Gênesis 1:5; João 11:9)
“tempo” (Gênesis 4:3; Isaias 30:8; Deuteronômio 10:10; 1 Reis 11:42)
“ano” (1 Reis 1:1; 2 Crônicas 21:19; Amós 4:4)
"sempre" (Deuteronômio 5:29, 6:24, 14:23; 2 Crônicas 18:7)
“estação” (Gênesis 40:4; Josué 24:7)
“continuamente” (Salmos 139:16)
“era” (Gênesis 18:11, 24:1, 47:28; Josué 23:1, 23:1, 23:2).

Yom com um numero/ordinal – Existe essa regra?

Um argumento comum de Criacionistas de Terra Jovem é o de que Yõm junto com um numero ou ordinal (1º, 2º, etc) sempre se refere a um dia literal de 24h. No entanto, isso é falso, e estudiosos de hebraico bíblico rejeitam esse argumento. O argumento diz que em todas as vezes que Yom é usado com um numero ou ordinal no Antigo Testamento, sempre se refere a um dia de 24 horas. Mas, mesmo se isso fosse verdade, todas essas vezes em que Yom significa um dia de 24 horas, a palavra esta propositalmente em um contexto que indica isso. O uso do numero na passagem é apenas descritivo. Ele não define dia. Então, a conexão entre o numero e o período de 24h não existe. Como Dr. William Lane Craig diz:

“Não existe regra gramatical no Hebraico que diga que yom seguido de um numero ordinal tem que se referir a um período de tempo de 24 horas. Mesmo se fosse o caso de não encontrarmos yom com um numero ordinal que signifique um dia de 24 horas em nenhum outro lugar da literatura Hebraica, isso poderia ser apenas um acidente da literatura Hebraica que aconteceu de sobreviver. [...] Esse fato, se fosse verdade, apenas seria uma reflexão das fontes Hebraicas antigas relativamente raras que temos hoje e não é um ponto gramatical realmente valido.” [1]

Dr. Norman Geisler também diz:

“Dias numerados não precisam ser solares. Nem há nenhuma regra na língua Hebraica que demande que os dias numerados em uma serie se refiram a dias de vinte e quatro horas. Mesmo se não houvessem exceções no Antigo Testamento, isso não significaria que ‘dia’ em Gênesis 1 não poderia se referir a mais de um período de vinte e quatro horas.”
 [2]

Alem disso, nenhum livro antigo de estudiosos de Hebraico Bíblico menciona esse argumento. Gleason Archer, em seu livro “Merece Confiança o Novo Testamento?”, na primeira edição, nem se quer menciona essa “regra” quando defende que os dias não possuem 24 horas. O que torna possível o fato de ser algo inventado relativamente a pouco tempo.

Não é verdade

Alem disso, existem outros versos da Bíblia que usam Yom com numero e não significam “dias” literais

“Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele.” - Oséias 6:2

Essa passagem se refere a restauração de Israel, centenas ou milhares de anos no futuro. Existem ainda outras passagens:

"Isso durou certo tempo e, pelo fim do segundo ano [yom], a violência do mal fez-lhe sair as entranhas. Morreu no meio de violentas dores. Seu povo não queimou perfumes em sua honra como o tinham feito para seu pai." - 2 Crônicas 21:19
"Assim eu fiquei no monte quarenta dias e quarenta noites, como da primeira vez [yom]; e também desta vez o Senhor me atendeu e não quis destruí-los." - Deuteronômio 10:10

Em Genesis 1:5 é usado “Yôm Echad”. Ao descrever o “Dia do Senhor” em Zacarias 14, a passagem contem “Echad Yôm”, que nessa passagem, em seu contexto, se refere a um longo período de tempo:

“Mas será um dia [yôm echad] conhecido do Senhor; nem dia nem noite será; mas acontecerá que ao cair da tarde haverá luz. Naquele dia também acontecerá que sairão de Jerusalém águas vivas, metade delas para o mar oriental, e metade delas para o mar ocidental; no verão e no inverno sucederá isto. E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o Senhor, e um será o seu nome.” - Zacarias 14:7-9

Outras passagens também possuem Yôm Echad:

“Então Jacó trabalhou sete anos por Raquel, mas lhe pareceram poucos dias [yôm echad], pelo tanto que a amava.” - Gênesis 29:20  
“Davi, contudo, pensou: ‘Algum dia [yôm echad] serei morto por Saul. É melhor fugir para a terra dos filisteus. Então Saul desistirá de procurar-me por todo o Israel, e escaparei dele”. - 1 Samuel 27:1  
“E em seu lugar se levantará quem fará passar um arrecadador pela glória do reino; mas em poucos dias [yôm echad] será quebrantado, e isto sem ira e sem batalha.” - Daniel 11:20

Isaias também usa Yom com Echad, que é traduzido como "único dia". Mas no contexto, "único dia" é obviamente figurativo:

"Por essa razão o Senhor corta de Israel tanto a cabeça como a cauda, tanto a palma como o junco, num único dia [Yom Echad]" - Isaías 9:14

Se aplica a Gênesis?

Mesmo se essa regra existisse, ela não funcionaria em Gênesis. Gleason Archer nota que a ausência de “heh” junto de “yom” o torna mais vago. Ele diz:

Houve seis fases principais nessa obra de formação, e essas fases são representadas por dias sucessivos da semana. A esse respeito, é importante observar que nenhum dos seis dias da criação traz um artigo definido no texto hebraico — as traduções "o primeiro dia", "o segundo dia" etc. estão erradas. O hebraico diz: "E a tarde teve lugar, e a manhã teve lugar, dia um" (1.5). Em hebraico, "o primeiro dia" seria hayyôm hāri’šôn, mas esse texto diz simplesmente yôm ’eād ("dia um"). Além disso, no versículo 8, lemos não hayyôm haššēnî ("o segundo dia"), mas yôm šēnî ("um segundo dia"). Na prosa hebraica desse gênero, o artigo definido era usado em geral quando se desejava definir o substantivo. Somente no estilo poético ele podia ser omitido. O mesmo acontece no restante dos seis dias: nenhum deles traz o artigo definido. Assim, eles são bem adaptados a um padrão seqüencial, e não a unidades de tempo estritamente delimitadas. [3]

(na citação acima, as palavras em hebraico com ha indicam o prefixo הּ “heh”, que significa “o”)
Onde Yom esta numerado em outros versos, quase sempre o numero tem o prefixo “heh”, que significa “o”. Dessa forma, deveríamos ter “harison” (O Primeiro) e “hasseni” (O Segundo). Nessas palavras, a letra “heh” seria pronunciada com um “a”, levando a “ha+rison” e “ha+sseni”.
Em outros versos onde Yom é numerado, sempre tem :
“em yom”, com o prefixo “Beth”
“e no yom”, com o prefixo “waw”
ou “yom” com um prefixo ou preposição. Podem ser os prefixos que significam “para”, “e” ou “até”.
Com isso em mente, a numeração em Hebraico é significativamente diferente do que o padrão encontrado em Gênesis.
Em Gênesis 22:4, em hebraico, esta escrito “em yom” “o terceiro”. Traduzido (NVI), esta escrito “No terceiro dia de viagem, Abraão olhou e viu o lugar ao longe”. Já em Gênesis 1, a situação é diferente. Em hebraico, esta escrito:

“E houve tarde e houve manha – yom terceiro”

Em português, esta escrito:

“Passaram-se a tarde e a manhã; esse foi o terceiro dia.”

Então, a versão hebraica nos diz apenas “Yom terceiro”, mas a tradução errônea nos diz “no terceiro Yom”. Gênesis é o único lugar da Bíblia onde aparece Yom numerado sem qualquer prefixo, deixando claro que não se restringe a um período de tempo qualquer, mas sim a um período de tempo indeterminado. 

O Contexto é de Criação

Outra coisa a se manter em mente é que, mesmo se a palavra fosse literalmente “dia”, isso não significaria que foram dias de 24 horas humanos. Como apostolo Pedro disse:

“Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.” - 2 Pedro 3:8

Apenas Deus estava na criação. Ninguém mais. Com isso em mente, também podemos ver que todas as passagens onde Yom é usado com um numero, se referindo a um período de 24 horas, o contexto indica um período da história humana. Gênesis 1 é o único lugar que se refere a um período de história natural ou história de criação divina. Portanto, não devemos assumir que Deus criou tudo em períodos de 24 horas. Isso diminuiria Deus ao nível de um homem. Algo que Ele apenas fez muito tempo depois da Criação.

Pode ser usado metaforicamente

Um outro argumento que pode ser feito, é que em Gênesis 2:4 “Yom” é usado como "dia" mas de uma forma “metafórica”:

“Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados; no dia em que o Senhor Deus fez a terra e os céus” - Gênesis 2:4

Nesse verso (Gênesis 2:4), todos os seis dias de criação são tratados apenas como um. Então, o uso de “dia” de forma metafórica é uma possibilidade. Nada impede a palavra “dia” de ser usada metaforicamente. Por exemplo, se eu digo “O Pastor Lucas é meu braço direito na guerra contra os coelhos marcianos”, eu estou usando as palavras “braço esquerdo” de forma metafórica. E a Bíblia também usa “A Mão do Senhor” varias vezes, e claramente são passagens metafóricas, já que Deus não é um ser físico.

Conclusão

O estudioso da língua hebraica Gleason Archer, um dos mais influentes do seculo 20, conclui:

“Com base na evidencia interna, é minha convicção de que yôm em Gênesis não poderia ser intencionado pelo autor Hebreu a significar dias literais de vinte e quatro horas.” [4]

R. A. Torrey, fundador do Seminário Talbot, diz:

"Qualquer um que esteja familiar com a Bíblia e a maneira que a Bíblia usa as palavras, sabe que o uso da palavra ‘dia’ não é limitado a um período de vinte e quatro horas. Ela é freqüentemente usada para denotar um período de duração completamente indefinido [...] Não há nenhuma necessidade de interpretar os dias de Gênesis 1 como dias solares de vinte e quatro horas de duração”
 [5]

J. Gresham Machen, considerado o ultimo grande teólogo de Princeton, diz:

“Certamente não é necessário pensar que os seis dias ditos no primeiro capitulo da Bíblia são intencionados a ser seis dias de vinte e quatro horas. Nós podemos pensar neles como períodos de tempo muito longos.”
 [6]

Edward Young, considerado como o epítome da ortodoxia conservadora exegética, diz:

“Mas então surge a questão da duração desses dias. Essa questão é difícil de responder. Indicações não estão faltando de que eles possam ser mais longos que os dias que nós conhecemos hoje, mas as Escrituras mesmo não dizem claramente.” [7]

James Montgomery Boice, do Concilio Internacional de Inerrância Biblica diz:

“Criacionistas [de Terra Jovem] insistem que os dias possuem 
literalmente 24 horas, mas esse não é necessariamente o caso. As vezes, a palavra ‘dia’ é usada em um sentido muito maior [...] ela pode significar um período de duração indefinida.” [8] “Qualquer visão que diga que a Terra tem de 12 a 20 mil anos some em face das muitas variadas e independentes evidencias para ser crível. Em meu julgamento, a Terra e o Universo tem, de fato, bilhões de anos” [9]

O próximo texto falará sobre Yom+Tarde e Manhã.

Fontes

[1] – Defenders Class 2 com William Lane Craig, “Creation and Evolution”, http://www.reasonablefaith.org/defenders-2-podcast/transcript/s9-02
[2] – Norman Geisler, “Baker Encyclopedia of Christian Apologetics”, p. 271.
[3] – Gleason L. Archer, “Enciclopédia de temas bíblicos”, p. 54
[4] – Gleason L. Archer, “A Survey of Old Testament Introduction”, p. 199.
[5] – R.A. Torrey, citado em Rodney Whitefield, Reading Genesis One: Comparing Biblical Hebrew with English Translation”, p. 136.
[6] – J. Gresham Machen, citado em Westminster Theological Seminary and the Days of Creation”, citado em www.wts.edu/news/creation.html.
[7] – Edward J. Young, citado em Westminster Theological Seminary and the Days of Creation.”
[8] – James Montgomery Boice, “Genesis: An Expositional Commentary”, Volume 1: Genesis 1-11, p. 84.
[9] – Idem, 78

Um comentário: