segunda-feira, 23 de março de 2015

Criacionismo Progressivo #1 - O que é?


Recentemente, eu tirei o texto sobre o Criacionismo Progressista. Agora, eu vou coloca-lo em partes, pois acho melhor pra se ler. Porem, o texto gigante voltará algum dia. Enfim, pra começar, vamos ver o que é o Criacionismo Progressista. 

O que é o Criacionismo Progressista?


O que Criacionistas Progressistas creem

Gênesis é um relato semi-literal, porem histórico. A história de Adão e Eva realmente aconteceu, mas a narrativa de como as coisas foram criadas é escrita de forma poética. (Ninguém realmente crê que o céu é feito de água ou que quando um casal copula se tornam um único corpo.) Mas a verdadeira “batalha” é entre o significado da palavra “dia” (Yom).
Nós acreditamos que a Terra tem aproximadamente 4 bilhões de anos e que o Universo tem aproximadamente 14 bilhões de anos. Acreditamos que o pecado de Adão tem uma mensagem real, mas ainda metafórico, para toda a humanidade, e Cristo morreu para nos salvar de nossa natureza pecaminosa. 
Nós não usamos apenas Gênesis para mostrar que a Terra não é jovem, mas vemos toda a Bíblia. Independente de ter uma narrativa histórica ou poética. Alem do mais, toda a Bíblia é inspirada por Deus. Mesmo se tratando de poemas, essas passagens contem uma mensagem por trás, que somente esta sendo descrita de forma poética. Então, até mesmo as partes poéticas devem ser levadas em consideração. 
Também acreditamos que toda a Bíblia é isenta de erros, portanto, não pode contradizer o Livro da Natureza.

Visões diferentes de Gênesis vieram por causa de Darwin?

Não. Isso é bobagem. Santo Agostinho (354-430), João Calvino (1509-1564), John Wesley (1703-1791) e outros acreditavam na ideia de “Acomodação”. Nessa visão, Gênesis 1-2 foi escrito de forma simples para que as pessoas da época entendessem. Muitos pais da igreja e rabinos ja tinham interpretações diferentes de Gênesis muito antes de Darwin. Santo Agostinho, 1500 anos antes de Darwin, percebeu esse tipo de linguagem em varias partes da Bíblia. Ele escreveu:


“De maneiras que são tão obscuras e muito alem de nossa visão, nós encontramos nas Escrituras Sagradas passagens que podem ser interpretadas de varias formas diferentes sem prejudicar a fé que nós recebemos. Nesses casos, nós não deveríamos nos apressar e ficar apenas de um lado, se o progresso na busca pela verdade justamente acabar com essa posição, nós caímos com ela.” [1]






Em seu “Comentário ao Gênesis”, ele sugere que Deus criou o mundo em etapas que vão se desenrolando e desenvolvendo gradualmente ao longo do tempo. São Tomas de Aquino também argumentava que Deus não criou tudo em seu “estagio final”, mas criou eles com potencial para se desenvolver como ele queria.
Judeus antigos como Filo de Alexandria e Josefo já diziam que os dias não tinham 24 horas. Alem deles, outros pais da igreja Cristã primitiva como Justin Martyr, Irineu, Hipólito, Clemente, Origen, Lactantio, Victorino, Metodio, Eusébio, e Ambrosio também argumentavam, já nas épocas primitivas do cristianismo que os dias não eram curtos. Então, claramente essa não é uma visão nova que tenta encaixar a ciência moderna nas escrituras.

Criacionistas de Terra Antiga

Teólogos do seculo 19: Charles Hodge (A.D.1797-1878), A.A. Hodge (A.D.1823-1886), John Gresham Machen (A.D.1881-1937), William G.T. Shedd (A.D. 1820-1894), Benjamin B. Warfield (A.D. 1851-1921).

Teólogos do seculo 20: Gleason Archer, R. Laird Harris, James Montgomery Boice, Francis Schaeffer, R.A. Torrey, Edward J. Young

Teólogos e Apologistas contemporaneous: John Ankerberg, Bill Bright, C. John Collins, Chuck Colson, Paul Copan, William Lane Craig, Norman Geisler, Wayne Grudem, Hank Hannegraff, Jack Hayford, Walter Kaiser, Phillip E. Johnson, Greg Koukl, J.P. Moreland, J.I. Packer, Nancy Pearcey, Vern Poythress, Earl Radmacher, Lee Strobel, e Dallas Willard.

Conclusão

Vimos que os Criacionismos Progressistas (assim como os Teistas Evolucionistas) creem que a Biblia é isenta de erros (apesar de ter "erros" em detalhes secundários e insignificantes). Também vimos que não é uma ideia nova e que muitos creram e creem nisso. No proximo texto (que sai hoje mesmo), falarei da palavra Yom em Gênesis e refutarei o argumento de que Yom com um numero/ordinal é sempre um periodo de 24h


Fontes


[1] - Santo Agostinho, "The Literal Meaning of Gênesis"

Nenhum comentário:

Postar um comentário