quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

A Mensagem Secreta do Livro de Jó


A mensagem do sofrimento do Jó é a mensagem mais utilizada quando o lemos. E essa bela mensagem é usada para que as pessoas tenham fé. Mas, parece que existe algo mais profundo para as pessoas ligadas em apologética.
Recentemente, eu estava assistindo uma palestra no Youtube do Astrofísico Dr. Hugh Ross chamada The Hidden Treasures in the Book of Job [Os Tesouros Escondidos no Livro de Jó] (Também tem livro!) onde ele demonstrava que o livro de Jó tem os maiores detalhes sobre a Criação (mais que Gênesis!), que é demonstrada a Revelação Geral de Deus (na natureza) e mostra melhor o plano de salvação de Deus.

Os Tesouros Perdidos no Livro de Jó


Os Detalhes da Criação

Em Gênesis, nós percebemos que existem diversos detalhes que são deixados de lado. Para um livro que descreve a criação do mundo e de todos os seres vivos, muitos detalhes foram deixados de lado. De acordo com Ross, esses detalhes foram deixados de lado, pois Moisés já os havia escrito em Jó (caso não saiba, o primeiro livro da Bíblia foi Jó). Com Jó já tendo tantos detalhes que o povo já conhecia, não havia motivos para Moises os repetir em Gênesis. Tudo o que ele fez foi colocar ali o padrão de um em sete.
Em Gênesis, a criação do sol, lua e estrelas só é mencionada no quarto dia. Note que em Gênesis 1:3 esta escrito “Haja Luz”, não que Deus criou a luz. Em Jó 38:9, no contexto de Criação, Deus fala sobre esse momento:

“Quando o vesti de nuvens e em densas trevas o envolvi” - Jó 38:9

No contexto da passagem, Deus esta se referindo as nuvens que cobria toda a superfície da Terra. Então, quando em Gênesis diz “haja luz”, na verdade esta se referindo a aparição da luz. Como em Jó explica, essas nuvens escondiam o sol durante a criação. Então, essa nuvem que cobria a Terra se tornou translúcida. Essas nuvens não sumiram até o quarto dia. Tudo o que havia na Terra antes do dia quatro não precisava saber da posição do sol, lua e estrelas, só precisavam de luz. Depois, a posição desses astros se tornou necessária. Isso para a divisão das estações, períodos de migração, etc. tudo no tempo certo.
Gênesis 1:1 fala sobre a criação do universo, enquanto Gênesis 1:2 começa a falar sobre a Terra. De acordo com os dados astrofísicos atuais, isso seria uma lacuna de 9 bilhões de anos. Gênesis não fala sobre essa lacuna, mas Jó fala. Jó é o primeiro livro da Bíblia que fala de Deus expandindo o universo, assim como na cosmologia do Big Bang:

“Ele sozinho estende os céus.” - Jó 9:8

De acordo com Ross, são as constantes da física que dão a evidencia mais espetacular para um design sobrenatural.
Jó também explica melhor a “segunda” origem da vida (nephesh). Quando se fala com ateus sobre a origem da vida., eles falam sobre a origem da vida mais simples. Mas eles tem que explicar três tipos de vida. Deus criou a vida fisica no primeiro dia, mas apenas no quinto dia ele criou a vida física com emoções. Essas criaturas foram criadas com o propósito de se relacionar, se nutrir, mas também foram feitas para se relacionar com os seres humanos, e servir os humanos, cada um de forma distinta.
Gênesis termina com Deus dando uma ordem a Adão e Eva. A ordem de dominar tudo o que há na Terra da forma certa para o beneficio de toda a vida. Mas Deus nunca disse como fazer isso. Adão e Eva deveriam ter ficado “Iai... como faz issae?”. Bom, Gênesis não precisava detalhar isso, pois o livro de Jó já tinha as instruções detalhadas em quatro capítulos. Começando em Jó 37, Deus diz que deu a precipitação optima. Jó nos diz como Deus abençoou a humanidade com três tipos de precipitação congelada: granizo, neve e geada. E três tipos de precipitação liquida: orvalho, neblina e chuva.

Aquecimento Global

Nós conseguimos fazer o deserto do Saara dez vezes maior do que ele era a dez mil anos. O livro de Jó nos fala sobre soluções para o aquecimento global também. Jó 38-39 nos diz para dirigir das precipitações corretamente. Assim, tudo poderia ser resolvido. Outro exemplo vem da lista de animais colocada em Jó. Se examinarmos de perto essa lista, vemos que cada um desses animais tinha um papel importante para a civilização. Por exemplo, se trocarmos a carne de vaca pela de avestruz. Se cultivarmos avestruzes ao invés de vacas, isso eliminaria muito dos gases produzidos pelas vacas.

A Criação dos Animais

No quinto dia, Deus cria os pássaros e os animais marinhos. Gênesis usa a palavra hebraica “bara”. No dia seis, Deus cria tipos de mamíferos de terra mais avançados. Jó 38 e 39 nos explica o propósito da criação desses animais, e como o ser humano deve “domina-los” para que o planeta fique bem com sua biosfera. Um desafio para o ateísmo é dizer como esses animais podem ter se adaptado aos humanos, sendo que eles existiam com essas funções já antes de nós existirmos. Os corvos, por exemplo, tem uma capacidade mental muito maior do que imaginamos. Eles adoram desvendar enigmas. Mas eles fazem isso melhor com um ser humano assistindo.

Os dez animais em Jó 38-39

Os dez animais citados em Jó são o leão, o corvo, a cabra, o veado, o burro, o boi, a avestruz, o cavalo, o falcão e a águia. O livro de Jó mostra como esses animais foram projetados para ter um papel critico em sustentar e ajudar a civilização humana. Deixe-me dar dois exemplos (que são os que estão no vídeo, já que não tenho o livro!):
O burro tem duas funções relacionadas com o ser humano. Se você perde-lo, ele consegue voltar a vida selvagem instantaneamente. E se você encontra-lo muito tempo depois, ele voltará imediatamente ao estilo de vida “domestico”. Outra coisa que o burro consegue fazer é te manter longe do perigo. Ele fará de tudo para evitar que você corra qualquer risco de vida.
O cavalo consegue ser um grande animal para transporte. Se você tentar montar um burro, seu pé vai tocar o chão. Se você montar um camelo, estará tão alto que se você cair vai se machucar. Mas o cavalo tem um design bem estável e na altura certa para ser montado. Ele também tem um sistema de resfriamento parecido com o do ser humano, e pode ir a qualquer lugar que nós conseguimos ir. Eles também são muito obedientes e leais, a ponto de se sacrificar para proteger seu dono.
O grande ponto, é como Deus projetou esses animais para nos ensinar lições importantes sobre nós e sobre Ele. No capitulo 12 é dito:

“Pergunte, porém, aos animais, e eles o ensinarão, ou às aves do céu, e elas lhe contarão.” - Jó 12:7

Alguns exemplos do que esses animais podem nos ensinar:

É preciso um ser maior para domar essas criaturas. Eles não se domam, dependem de nós, seres maiores para doma-los. O mesmo vale para nós. Deus pode nos “domar”. Então, assim como esses animais precisam de um ser maior para doma-los, nós também precisamos. Essa é a mensagem de Jó 38 a 41. Que diz no final que nós podemos domar qualquer criatura, a única que não podemos domar é o ser humano orgulhoso. Apenas Deus pode doma-lo.
Assim como os animais foram criados para nos servir, assim também fomos criados para servir a Deus. Deus deu a esses animais uma grande motivação para nos servir e se relacionar conosco.
Nós também podemos ver que vários animais se afastam de nós quando somos agressivos e maltratamos seus lares. O pecado afasta essas criaturas de nós, e assim também faz com que nós corramos de Deus. Mas com a motivação certa, esses animais chegam perto de nós de forma pacifica. Similarmente, se formos pacíficos e evitarmos o pecado, nós podemos nos aproximar de Deus.
No capitulo 40 e 41 são mencionados o Beemote e o Leviatã. O contexto completo nos fala sobre os animais com alma. As pessoas debatem quem é o beemote e o leviatã, e alguns dizem que são dinossauros. Mas não, estes não são dinossauros. Dinossauros não são seres com alma (nephesh) que podem se relacionar com seres humanos. Na verdade, se ver o contexto certo, esta se referindo ao hipopótamo e ao crocodilo, os dois animais mais difíceis de se domar.
Você pode domar um hipopótamo, mas apenas se separa-lo quando bebe de sua mãe, o isolar e passar uma hora por dia com essa criatura. Quando o crocodilo, tem que ficar desde o nascimento com ele, mas se você perder um dia, ele já se volta contra você. E Deus usa isso como uma analogia. “Você pensa que é difícil domar um crocodilo? Não é nada comparado a tentar trazer humildade a um ser humano orgulhoso. Sou o único que consegue fazer isso.”
A grande mensagem de Jó, alem do sofrimento, é um apelo a todos nós. Jó foi a Deus pela humilhação que ele precisava para servir Deus propriamente, ele pergunta: Faremos o mesmo? Todos nós temos problemas com orgulho. Mas deixaremos que Deus nos “dome” para sermos humildes? São nos momentos de oração pessoal que devemos olhar pra Deus e dizer:

“Deus, eu preciso de uma mudança em meu coração para me tornar mais humilde e servir a ti.”

Talvez Ele não responda da forma que você quer, mas responderá da melhor forma para você e para o seu relacionamento com Ele.

Vídeo com a palestra em inglês:



Livro em Inglês para compra - Clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário