domingo, 18 de janeiro de 2015

Tem gente que não sabe o que fala - Uma resposta a Fabio Porchat


Tem gente que não entende o que é a religião. Esse, com toda a certeza é o caso da maioria das pessoas atualmente, e eu já ia escrever um texto sobre isso. Mas depois de ler esse texto do Fabio Porchat, eu me senti mais motivado.
Porchat pode ser um grande humorista, e ele já garantiu boas risadas na minha vida. Mas quando se trata de escrever ou falar sobre religião, é visível que ele (e quem ri de suas piadas envolvendo a religião) não entende do que esta falando.

Em seu texto Tem gente que... isso fica facilmente visível. A apelação para o relativismo e a ideia de que “existem varias crenças” só demonstra como Porchat não entende o que é a religião.
É um fato que, existem varias crenças e elas devem ser respeitadas. Mas os exemplos usados por Porchat, com relação a minha religião, mostram como ele não entende mesmo sobre o que fala.
Citando ele:

Tem gente que não come presunto por causa da religião. […] Tem gente que acha que uma vez por semana você não pode trabalhar.”

Isso vem de duas das leis do Antigo Testamento que não foram abolidas no Novo. (Algo que pode ser discutido, mas esse não é o ponto do texto.)
Claro, eu não como carne de porco e não vou trabalhar no Sabado, mas isso não significa que eu me sinta ofendido por alguém transgredir essas duas leis. Eu não vou falar para meu irmão não Adventista que ele não deve comer presunto. Não é assim que o Cristianismo funciona. Eu demonstraria, com amor, a verdade do Cristianismo e por consequencia ele tentaria parar de transgredir a Lei de Deus.
[Atualizado: Não sou mais adventista.]
Religião é uma busca humana pela verdade divina. Não são simples ideias ou “times de futebol” a serem escolhidos aleatóriamente porque uma conforta mais a pessoa do que outra.
Não existem verdades? E isso? É uma verdade?
Não podemos saber a verdade? Então como você sabe que isso é verdade? Seria irracional assumir uma posição espiritual, ou ausente de espirito, simplesmente porque existem varias visões no mundo. Se Deus existe e as pessoas quiseram criar outras visões que lhes dão mais conforto, isso não invalida a existecia desse Deus, nem seu caminho.
Todas as religiões são verdade? Implausivel. A lei da não-contradição impede que duas afirmações opostas sejam verdades.
Os Cristãos creem em uma Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo – Três pessoas que são um Deus.
Os Muçulmanos creem que Alah é Deus, um Deus unitário. Para eles, Jesus nunca foi morto ou crucificado e era apenas um profeta.
Nenhuma religião é verdadeira? Esta pressupondo o ateismo sem nenhum argumento.
No final do texto de Porchat ele demonstra sua ignorância e o clássico problema da autoridade cósmica. Ele diz:

“E tem gente que não acredita em nada disso e que não acha que exista nada sagrado. E que tudo isso é uma grande bobagem, que só faz mal a humanidade. E que, inclusive, tudo o que é considerado sagrado pelos outros é, na verdade, ofensivo pra ela.”

Primeiro, você tem todo o direito de ser ateu e fazer o que quiser. Esse é o ponto principal do ateísmo, não ter nenhuma autoridade cósmica e “ser livre”. Mas o segundo ponto, de que a religião só faz mal a humanidade, parte apenas da ignorancia da mente dele. A religião Cristã (e eu vou argumentar para o Cristianismo, por entender mais) foi um dos principais movimentos para a melhoria do desenvolvimento moral humano.

[Eu vou apenas copiar e colar de outro texto, porque se eu puser o link vai ter gente com preguiça de ir la]

O primeiro que devemos esclarecer, é o fato de ter havido pessoas que disseram ser seguidoras de Cristo que cometeram atos maléficos e terríveis, dizendo que estão fazendo isso pelo beneficio de Cristo e Seu reino. Isso deve ser condenado pelo mal que é, pessoas más cometendo atos maus. Mas o erro dos Neo Ateus é atribuir a causa desses atos ao Cristianismo, como se estivessem simplesmente assumindo que essas atrocidades têm que ter vindo dele, quando na verdade há outros motivos que foram as causas. Isso é conhecido normalmente como um erro de atribuição. Um psicólogo social tem se dirigido ao movimento dos Neo Ateus por cometerem esse erro [1]. Esse erro seria como se eu dissesse que o ateísmo foi a única coisa que fez com que Stalin e Mao se tornassem ditadores assassinos. Não seria melhor olharmos pra todos os fatos que podem ter os tornado maus, ao invés de dizer que sua crença em Deus fez com que eles matassem milhões de pessoas?
O argumento todo é destruído quando vemos que Jesus ensinou amor e paz, ao invés de guerra e tortura. Soren Kierkegaard percebeu que essas pessoas não poderiam ser cristãs, pelo simples motivo de serem completamente opostos ao que Cristo ensinou. [2]
Jesus ensinou a dar a outra face (Mateus 5:39), amar seus inimigos e orar por aqueles que te perseguem (Mateus 5:44) e quando as brigas começarem, ao invés de participar, ir embora (Mateus 24:16). O Apostolo Paulo ensinou a viver em paz, se importar com suas famílias ( 1 Tessalonicenses 4:11; 2 Tessalonicenses 3:12) e viver em paz com todas as pessoas. (Romanos 12:18)
Qualquer pessoa que se diz seguidora de Cristo, mas declara guerra em seu nome, claramente não segue seus ensinamentos. Mas uma visão distorcida do Cristianismo é completamente oposta ao que ele deveria ser. Se isso for verdade, então aqueles que dizem estar matando em nome de Cristo, não poderiam estar seguindo os ensinamentos de Cristo.
Ironicamente, críticos seculares do Cristianismo estão usando morais baseadas no Cristianismo para denuncia-lo. O historiador C. John Sommerville argumenta em seu livro que as visões morais anteriores ao surgimento do Cristianismo eram bem diferentes do que as pessoas têm hoje em dia, e que o Cristianismo é responsável por moldar nossas visões morais no oeste.
Para ilustrar isso, Sommerville mostra sociedades pré-cristãs, como os Anglo-saxões, que eram sociedades baseadas na honra, onde conseguir respeito e honra dos outros era a coisa mais importante, que mudou com a vinda dos monges Cristãos que tinham orgulho de caridade, serviços, e colocar os outros antes de si mesmo. Ele pergunta aos estudantes, se eles vissem uma velha senhora com uma bolsa nos braços, por que é errado roubar dela? A resposta dos anglo-saxões, e outras sociedades baseadas na honra, seriam: “Se você pegar do fraco, você será desprezado porque ninguém vai respeita-lo se você não se respeitar primeiro”, o que é claramente uma ética que egocêntrica. Enquanto a resposta dos estudantes, era que isso era errado porque causava dano e perturbação para a senhora. Sommeville argumenta que o Cristianismo mudou nossas visões éticas das idéias baseadas na honra para sociedades que valorizam humildade, paz, serviço aos outros e amar ao próximo. Então se você pensa que é mais ético se importar com seu próximo ao invés de sua própria honra, você deve agradecer ao Cristianismo. [3]
O Cristianismo também deu impulso a ciencia no mundo ocidental, de acordo com vários historiadores. Eles dizem que as religiões pagãs que acreditavam que o mundo estava repleto de mistérios sobrenaturais, deuses naturais, fadas e outros seres místicos. Enquanto aqueles de se seguravam aos valores judaico-cristãos, não viam o mundo dessa maneira. Para eles o mundo era o trabalho de um engenheiro cósmico. O sol não era um deus, mas sim uma “lâmpada” que seguia as leis de um Criador. Os animais não deveriam ser adorados, mas estavam a mercê do homem. A expansão dos valores judaico-cristãos desencantou o mundo e deu a ele uma visão cientifica. Para os Cristãos, tudo seguia uma lei natural que foi dada por um legislador.
Jerry Newcombe diz:


Todo o principal ramo da ciência que foi criada foi originado por pessoas que acreditavam na Bíblia. Eles acreditavam que estavam, nas palavras de Johannes Kepler, pensando os pensamentos de Deus, indo atrás dele” [4]









E.O. Wilson pergunta, por que a ciência não cresceu na China? Eles tem bem mais tecnologia que a Europa. Wilson concluiu:

De provavelmente ainda maior importância, estudiosos Chineses abandonaram a idéia de um ser supremo com propriedades pessoais e criativas. Nenhum Autor da Natureza Racional existiu em seu universo; consequentemente, os objetos que eles meticulosamente descreviam não seguiam princípios universais, mas ao invés disso operavam por dentro de uma regra particular seguido por essas entidades em ordem cósmica. Na ausência de necessidade imperiosa para a noção de lei geral – pensamentos na mente de Deus, por assim dizer – pequenas ou nenhuma pesquisa era feita por eles.” [5]



Mas talvez queiram argumentar que o Cristianismo é ruim para a sociedade agora, e previne a sociedade de seguir à diante. Mas pesquisas cientificas também mostram o oposto a essa idéia. Dezenas e dezenas de estudos mostram que a religião é extremamente benéfica e promove comportamento ético de diversas formas diferentes. Para ser justo, há alguns estudos que dizem que mostram que a religião não esta relacionada a nenhuma melhora no comportamento ético. No entanto, há diversos outros estudos que mostram que a religião melhora o comportamento ético, e também há estudos de meta-analise que é o maior e mais preciso tipo de estudo que há. Um estudo de meta-analise combina o resultado de todos os estudos que tem sido feito sobre o assunto para identificar os padrões entre vários resultados de estudos diferentes. Eles até mesmo incluem estudos que mostram o efeito oposto. Após combinar todos os resultados em um, o efeito global de cada estudo combinado é determinado. Então, o que o estudo da meta-analise diz sobre a religião ser benéfica? Um estudo de 2009 que na verdade olhou varias meta-analises feitas no mundo ocidental onde o cristianismo prevalece e os valores judaico-cristãos são encorajados, teve esse resultado:

Em uma analise meta-analitica de 147 lados de efeitos independentes, foi descoberto que religiosidade estava associada com menor taxa de sintomas de depressão [...] uma meta-analise de 2 décadas concluiu que a religiosidade era positivamente associada com estar bem [...] Uma analise meta-analitica mais recente de 49 estudos também concluiu que formas ‘positivas” de doação religiosa também estavam associadas positivamente com os resultados das medidas de resultados psicológicos positivos, como a satisfação com a vida e a felicidade, e negativamente associados com as medidas de resultados negativos, como ansiedade e depressa. [...] Uma meta-analise de 60 efeitos revelou que a religiosidade esta associada com baixas taxas de crime e delinquancia, e esta ainda mais fortemente associada com baixas taxas de ‘vitimas’ de crimes como jogos de azar e uso de drogas. [...] uma meta-analise de 15 estudos na associação de religiosidade e conquistas escolares nos jovens da Black and Hispanic American descobriu que religiosidade era positivamente associada com notas mais altas e melhores conquistas em provas” [6]

Eles também mostram: 
-Em uma analise meta-analitica que religiosos casados são mais prováveis de se manterem casados (pág 70).
-Outra analise meta-analitica mostra que gentileza e conscientizarão também estão relacionadas com a religiosidade. (pág 73).
-Outra ainda que religião esta assimilado com a diminuição dos níveis de psicoticismo (pág 73)
-Religiosidade também tem efeito extremamente positivo em ser respeitoso, útil, responsável, educado, respeitoso aos idosos e desfrutar da vida (pág 78)
Entre vários outros beneficios que a religião traz a sociedade.

[Fim da citação do outro texto. Pode conferi-lo completo aqui]

Kenneth Scott Latourette, historiador da Universidade Yale, que escreveu “History of Christianity”, diz:

"Nós temos muito a dizer a respeito dos efeitos do Cristianismo sobre a humanidade como um todo, aqui esta a força mais potente que a humanidade conheceu para a dissipação do analfabetismo, para a criação de escolas, para o emergir de novos tipos de educação, do Cristianismo emitiram impulsos a aventuras intelectuais e geográficas, as universidades foram na maioria criações cristãs. Musica, arquitetura, pintura, poesia, filosofia, devem suas maiores conquistas ao Cristianismo. Democracia como era conhecida no seculo 19 e 20 foi em grande parte consciência de ensinamentos Cristãos, a abolição da escravidão foi chefiada pelo Cristianismo, assim como as medidas para proteger os Índios contra a exploração dos brancos. Os movimentos que mais ajudaram para a regulação da guerra, para a mitigação do sofrimento acarretado pela guerra, para a abolição eventual da guerra devem sua origem a fé cristã, a profissão de enfermeira tem as mesmas origens, a ampliação dos métodos de cirurgia do ocidente foram chefiadas pelo empreendimento missionário Cristão, e a elevação da posição da mulher como um todo. Nenhum outro movimento na história trouxe tantos bens a humanidade."

E os males cometidos pelos ateus na história?

Mao Ze-Dong - 49-78,000,00 pessoas assassinadas.
Jozef Stalin - 15,000,000 pessoas assassinadas
Pol Pot - 1,700,000 pessoas assassinadas
Kim II Sung - 1.6 milhões de pessoas assassinadas
Tito - 570,000 pessoas assassinadas
Suharto - 500,000 pessoas assassinadas
Ante Pavelic - 359,000 pessoas assassinadas
Ho Chi Min - 200,000 pessoas assassinadas
Vladimir Ilich Lenin - 30,000 pessoas assassinadas
Adolf Hitler - 12,000,000 pessoas assassinadas (A proposito, Hitler não era Cristão.)

Também tem outra coisa a ser dita. É fato que algumas religiões fizeram mal na história, mas isso não quer dizer que todas são más. Nem que todos os religiosos são maus. Como disse la em cima, Cristãos que fizeram maldades estavam desobedecendo a Cristo.
Outro ponto importante é que atacar a religião, não invalida a existência de Deus. Na verdade, dizer que religiosos fizeram mal na história apenas deixa mais evidente a existência de Deus. Se Deus não existe, então não existe uma Lei Moral. Sem Lei Moral, não existe certo e errado. Sem certo e errado, sem bem e mal. Sem Deus, tudo é permitido.
A Lei Moral nos diz, racionalmente, que deve existir então apenas um Deus, que é moralmente perfeito e que é um agente pessoal (pessoas não tem deveres morais a coisas impessoais).
A “fabula” que eu chamo de religião, se for verdade, me da uma Lei que me diz pra te respeitar. Ja a sua “fabula”, se for verdade, retira toda essa Lei, então não é moralmente errado impor uma religião a ninguém.
O que não entendem, é que quando ofendem a nossa religião, muitas vezes estão ofendendo aquele que cremos ser nosso Pai, Salvador e Guia.

Fontes

[1] - Amarnath Amarasingam, “To Err in their Ways: The Attribution Biases of the New Atheists”,
[2] - Soren Kierkegaard, "Attack upon Christendom"
[3] - C. John Sommerville "The Decline of the Secular University", pp 63-70
[4] - What if Jesus Had Never Been Born? – https://www.youtube.com/watch?v=uHLioeL9dYk (28:28)
[5] – E. O. Wilson, “Consilience: The Unity of Knowledge”, p. 31

[6] - Michael E. McCullough & Brian L. B. Wiloughby "Religion, Self-Regulation, and Self-Control: Associations, Explanations and Implications", pp. 69, 70 - http://www.psy.miami.edu/faculty/mmccullough/Papers/Relig_self_control_bulletin.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário