segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Sobre moralidade #7 - Dilemas morais provam o relativismo?


E que tal os dilemas morais? Se as pessoas não souberem o que fazer em uma situação, qual o certo e o errado, isso não deveria provar que a lei moral não existe? É um fato que pessoas discordam do que é certo e errado em certas ocasiões  difíceis, mas isso não prova que a moralidade é relativa. Pelo contrario, nos mostra que uma lei deve existir.

Dilemas morais provam o relativismo?

É comum alguns professores de filosofia usarem uma pequena história para mostrar que não existe uma lei moral e que tudo é relativo. Veja esse exemplo: Existem cinco pessoas tentando sobreviver em um bote salva-vidas projetado para levar apenas quatro pessoas. Se uma pessoa não for jogada no mar, todos morrerão. Os alunos discutem o dilema, propõem diferentes soluções e, então, concluem que seu desacordo prova que a moralidade deve ser relativa.
O que o professor e os alunos não percebem, é que esse dilema prova o oposto. Se não houvesse uma lei moral, não haveria um dilema. As pessoas diriam “ah, joga qualquer um no mar. Quem se importa?” Se as pessoas não tivessem o direito absoluto a vida, qualquer um não se importaria.
Podemos ficar confusos com relação a coisas difíceis, mas com as coisas básicas nós sempre acertamos. Como Norman Geisler e Frank Turek argumentam:

“Embora as pessoas possam fazer confusão com a moralidade em situações complicadas, não erram nas básicas. Por exemplo: todo mundo sabe que o homicídio é errado. E Hitler sabia disso. É por isso que teve de desumanizar os judeus com o objetivo de racionalizar o assassínio deles. [...] Responder a um simples problema científico como ‘Por que os objetos caem no chão?’ prova que existe pelo menos uma lei natural ou uma força (i.e., gravidade). Do mesmo modo, responder sinceramente a uma simples questão moral como ‘Há como justificar o assassínio?’ prova que existe pelo menos uma lei da moralidade (i.e., não mate). Se existe apenas uma obrigação moral (como não mate, não estupre ou não torture crianças), então a lei moral existe. Se a lei moral existe, então existe o Criador da lei moral.” [1]

Conclusão

Dilemas morais, apesar de serem usados para provar o relativimo, acabam nos mostrando o contrario. A razão pela qual o dilema é tão difícil é justamente porque as pessoas têm valor moral e o direito à vida.

Fontes


[1] – Norman Geisler e Frank Turek, “Não tenho fé suficiente para ser ateu”, p. 139

Nenhum comentário:

Postar um comentário