terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Por que sofremos?


Eu já falei sobre o Problema do Mal no mundo em uma serie, mas tem algo alem do Mal que é o Sofrimento pessoal. Se Deus existe, por que sofremos? Por que minhas orações não são respondidas? Deus se importa comigo?

Por que sofremos?


O Sentido da Vida no Cristianismo

O sentido da vida, se o Cristianismo for verdade, é algo que dispensa todo e qualquer egoísmo nosso. Lembre-se dos dois mandamentos dados por Jesus: Amar a Deus e amar ao próximo.
 A maioria das pessoas tem a idéia errada do que é o Cristianismo. A idéia geral é essa:

“Sou bom. Pago minhas contas, não jogo lixo na rua, nunca matei, nunca roubei. Logo, vou pro céu.”

No entanto, não é assim que o Cristianismo funciona. Pense nisso: Enquanto em todas as outras religiões as pessoas fazem os maiores rituais para tentar chegar a seu deus, o Cristianismo diz que Deus veio até o mundo. Isso fica evidente não apenas no Novo Testamento, mas no Antigo, desde Gênesis.
Em Gênesis 1, o nome usado para Deus é Elohim, que é o nome dado ao Deus Criador. Já em Gênesis 2, o nome dele é Yahweh, o nome do Deus que quer se relacionar com as pessoas. Gênesis 2 e 3 falam sobre a criação e o relacionamento do ser humano com Deus.
O que quero dizer com isso é que o importante é o relacionamento do ser humano com Deus. Um relacionamento com Deus nos leva a um caminho de altruísmo, já que nos importamos em fazer a vontade dEle. Nós não fazemos o “bem” para sermos salvos, fazemos o “bem” porque somos salvos. Como é dito em Efésios:

“Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus;não por obras, para que ninguém se glorie. Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou de antemão para que nós as praticássemos.” - Efésios 2:8-10

Onisciência

No meio de todo o nosso sofrimento pensamos “Deus é onipotente e todo amoroso, então ele deveria querer e poder me ajudar!”. Mas as pessoas se esquecem de um atributo de Deus importante: Onisciência.
Deus pode, a qualquer momento, parar o sofrimento das pessoas. Mas Ele sabe como esse sofrimento “meu” afeta outras pessoas e como pode me afetar no futuro. Esse meu sofrimento pode ter um grande significado para outras pessoas, pode ajuda-las, inspira-las e fazer com que elas também queiram me ajudar. Pense nisso: Apenas nessa vida nós sofreremos. Não haverá sofrimento no céu (vou escrever mais sobre isso em outro texto). Isso significa que apenas nessa vida poderemos ajudar ao próximo com compaixão e amizade.
Alem disso, é apenas através do sofrimento que nós amadurecemos. Nós não aprendemos nada com o prazer, alem do fato de que não aprendemos nada com ele. E Deus sabe que esse sofrimento pode ter uma importância em nosso futuro.

Oração não respondida

Outro problema comum que é apontado pelas pessoas é que “não adianta orar”. Isso porque, aparentemente, as orações não estão sendo respondidas. Mas isso também é um mal entendimento do que é a oração, em dois pontos.
Em primeiro lugar, a oração não é simplesmente para se fazer “desejos”. É uma conversa com Deus. E Ele não é um gênio da lâmpada. Claro que ele esta la para ouvir nossas angustias e problemas, mas Ele não é obrigado a solucionar cada problema nosso. Ele pode nos ajudar com os problemas, mas isso também iria requerer nossas ações. Isso é o que faz parte de se ter um relacionamento com Deus: Falar com Ele e trabalhar com Ele. – Or(ação)
Em segundo lugar, imagine como seria o mundo se Deus respondesse a todas as suas orações. Isso fica visível no filme “O Todo Poderoso”, quando Bruce Nolam (Jim Carrey) resolve realizar todos os pedidos de oração da cidade. Todas as pessoas acabam ganhando na loteria, mas o que elas queriam era o premio de milhões, mas como todas ganharam, elas receberam quinze dólares.
Outra coisa a se manter em mente é que, se Deus satisfizesse cada pedido de oração que fazemos, Ele não estaria nos tornando mais parecidos com Jesus, mas sim com Satanás. Estaríamos mergulhados em desejos pessoais e satisfações pessoais, e nosso egoísmo iria crescer mais e mais. Esse é exatamente o tipo de pessoa que Satanás é. Alguém que quer tudo, inclusive ser seu próprio Deus, para satisfazer seu próprio egoísmo. Enquanto Jesus é alguém que esquece a si próprio para o bem dos outros. Ele deu a própria vida para a salvação da humanidade. E nunca reclamou.

A grande mensagem de Jó

O Livro de Jó tem uma mensagem muito importante sobre o assunto. Não é apenas “Jó sofreu e agüentou”, mas algo mais profundo.
Primeiro, vamos ver quem era Jó:

“Na terra de Uz vivia um homem chamado Jó. Era homem íntegro e justo; temia a Deus e evitava o mal.” - Jó 1:1

Ele era um homem “integro e justo”, então por que Deus permitiu que Satanás o fizesse mal depois? Nós temos que entender “boas obras” não garantem boa vida e nem que a pessoa se salve. Jesus mesmo disse isso:

"Muitos me dirão naquele dia: 'Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?'""Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês que praticam o mal!" - Mateus 7:22-23

Salvação não é algo que ganhamos por nossas obras. É um presente dado pela Graça.
No verso 5 lemos:

“Terminado um período de banquetes, Jó mandava chamá-los e fazia com que se purificassem. De madrugada ele oferecia um holocausto em favor de cada um deles, pois pensava: "Talvez os meus filhos tenham lá no íntimo pecado e amaldiçoado a Deus". Essa era a prática constante de Jó.” - Jó 1:5

Esse verso é importante. Jó não esta preocupado em seu relacionamento com Deus, mas sim com suas obras e sacrifícios que ele oferece. Ele esta pensando “E se meus filhos morrerem? Melhor fazer sacrifícios o bastante para eles irem pro céu!”.
Jó quer estar com Deus, mas pensa que tudo se resume ao que ele faz para ganhar a graça e as bênçãos. Ele não esta tentando andar com Deus, mas sim tentando acalmar Deus com obras e sacrifícios.
Quando Jó perde tudo, ele diz:

"’Saí nu do ventre da minha mãe, e nu partirei. O Senhor o deu, o Senhor o levou; louvado seja o nome do Senhor’ ".“Em tudo isso Jó não pecou nem de nada culpou a Deus.” - Jó 1:21-22

Isso parece ser algo muito bom de se dizer, e é uma grande lição de moral. Mas note que tem algo estranho. Quando algo ruim aconteceu com Jeremias, Abraão e Ezequias, eles choraram e falaram para Deus. Quando Jesus estava na cruz Ele falou com o Pai. Mas quando Jó perde tudo e sofre, ele não fala com Deus, ele fala de Deus.
Jó não diz “Você me deu e me tirou, mas vou continuar louvando Seu nome”. Se ele estava com Deus, por que ele não falou com Ele?
Existem varias coisas que acontecem hoje em dia que são muito similares a isso. As pessoas acham que fazendo boas ações ou fazendo simpatias e desejando carros e dinheiro “em nome de Jesus” vai fazer com que elas ganhem tudo. Eles não andam com Deus, querem usar Deus para satisfazer seus desejos egoístas. Gritam a Deus pensando que Ele vai ouvir a eles, ver suas boas ações e que Ele vai ter a obrigação de compensa-los.
Em Jó 2, nós lemos o seguinte:

“Então sua mulher lhe disse: ’Você ainda mantém a sua integridade? Amaldiçoe a Deus, e morra! ‘”“Ele respondeu: "Você fala como uma insensata. Aceitaremos o bem dado por Deus, e não o mal? " Em tudo isso Jó não pecou com os lábios. - Jó 2:9-10

Porem, em Jó 3, Jó deseja a morte e amaldiçoa o dia em que nasceu.

“Depois disso Jó abriu a boca e amaldiçoou o dia do seu nascimento, dizendo: ‘Pereça o dia do meu nascimento e a noite em que se disse: ‘Nasceu um menino!’ Transforme-se aquele dia em trevas, e Deus, lá do alto, não se importe com ele; não resplandeça a luz sobre ele.’” - Jó 3:1-4

É como se Jó estivesse desejando a morte. Mas em Provérbios diz o seguinte:

“Mas aquele que de mim se afasta, a si mesmo se agride; todos os que me odeiam amam a morte". - Provérbios 8:36

A Bíblia diz que Deus é Vida (João 14:6), rejeitar a vida e querer a morte é rejeitar a Deus.
Em Jó 2:10, é dito que Jó não pecou com os lábios. Isso significa que ele não falou abertamente o que ele sentiu no coração a respeito de Deus. Fica obvio aqui que ele odeia a Deus. Jó deseja a morte, e aqueles que odeiam a Deus, amam a morte. Mas então, por que Jó não falou isso abertamente? Porque para ele, Deus ainda era um gênio no céu ou uma maquina de prêmios. Se você fizer coisas boas, fizer os sacrifícios certos e fizer as orações certas, será compensado e abençoado.
O relacionamento com Deus que Jó tinha em mente não era o de um relacionamento pessoal, mas sim uma formula:

Deus bom + Boas ações = boa vida.

Enquanto ele fizesse a parte dele, Deus era obrigado a lhe dar as coisas boas. Mas após sete dias (Jó 2:13), ele começa a admitir o que esta sentindo, e percebe que a formula esta quebrada.
Em Jó 29, ele lista todas as suas boas ações:

“A retidão era a minha roupa; a justiça era o meu manto e o meu turbante.Eu era os olhos do cego e os pés do aleijado.Eu era o pai dos necessitados, e me interessava pela defesa de desconhecidos.Eu quebrava as presas dos ímpios e dos seus dentes arrancava as suas vítimas."Eu pensava: ‘Morrerei em casa, e os meus dias serão numerosos como os grãos de areia.Minhas raízes chegarão até as águas, e o orvalho passará a noite nos meus ramos.Minha glória se renovará em mim, e novo será o meu arco em minha mão’."Os homens me escutavam em ansiosa expectativa, aguardando em silêncio o meu conselho.Depois que eu falava, eles nada diziam; minhas palavras caíam suavemente em seus ouvidos.Esperavam por mim como quem espera por uma chuvarada, e bebiam minhas palavras como quem bebe a chuva da primavera.Quando eu lhes sorria, mal acreditavam; a luz do meu rosto lhes era preciosa.Era eu que escolhia o caminho para eles, e me assentava como seu líder; instalava-me como um rei no meio das suas tropas; eu era como um consolador dos que choram.” - Jó 29:14-25

Jó fala de si mesmo, de seus bons atos, e no capitulo 31 ele fala da ausência de atos maus. Jó era um homem bom, e tinha uma lista de coisas que fez e não fez para provar isso. Mas esse é o problema. Nada na lista dele menciona fé em Deus ou confiança nEle. Jó estava seguindo a sua formula, e ele se tornou seu próprio deus, pensando que ele merecia tudo o que tinha antes.
Foi assim que Jó reagiu inicialmente. Depois, ele começou a buscar a Deus e pedir por respostas.
E isso nos leva ao “por que” de tudo isso. No inicio do livro, lemos o dialogo entre Deus e Satanás. :

“Disse então o Senhor a Satanás: "Reparou em meu servo Jó? Não há ninguém na terra como ele, irrepreensível, íntegro, homem que teme a Deus e evita o mal"."Será que Jó não tem razões para temer a Deus? ", respondeu Satanás."Acaso não puseste uma cerca em volta dele, da família dele e de tudo o que ele possui? Tu mesmo tens abençoado tudo o que ele faz, de modo que todos os seus rebanhos estão espalhados por toda a terra.Mas estende a tua mão e fere tudo o que ele tem, e com certeza ele te amaldiçoará na tua face. "O Senhor disse a Satanás: "Pois bem, tudo o que ele possui está nas suas mãos; apenas não encoste um dedo nele". Então Satanás saiu da presença do Senhor.” - Jó 1:8-12

Por que Deus permite isso? Bom, no livro de Juizes, temos o seguinte ciclo:

As pessoas se afastam de Deus (Juizes 3:7) – Deus permite que eles sejam entregues aos seus inimigos (3:8) – As pessoas voltam para Deus (3:9) – Deus manda um juiz para resgatar as pessoas (3:9-10) – há um período de paz (3:11)

Esse ciclo se repete por centenas de anos. Uma das coisas que isso esta nos ensinando é que quando nós decidimos parar de andar com Deus para adorar outras coisas, Deus nos da a essas coisas e para de andar conosco. Ele nos da a liberdade, pois nós mesmos estamos escolhendo não estar com Ele. Seguir a Deus é um relacionamento, e se nós rejeitamos esse relacionamento, Deus nos deixa ir.
Para aqueles que Rejeitam Deus completamente, Ele envia a ilusão que eles querem, assim eles podem seguir seus próprios caminhos (2 Tessalonicenses 2:11). Mas para aqueles que querem seguir a Deus, mas simplesmente se perderam, Deus vai permitir o sofrimento, para que eles aprendam com ele e voltem para Ele. (Juizes 3:7-11; Hebreus 12:6).
Nós normalmente pensamos que rejeitar a Deus é viver uma vida de pecados: se afastar de Deus, gastar todo o dinheiro em prostitutas, fazer atos maus, etc. Mas mesmo este sendo um caminho ruim de rejeição a Deus, a outro caminho pior. O caminho de ser um moralista e achar que por fazer os suas obras certas e ser “bonzinho”, merece ganhar tudo de Deus, como se fosse uma maquina de vendas. (Isso é o que Jesus diz na parábola dos filhos pródigos)
Uma prostituta, um drogado ou um alcoólatra pode ver a qualquer momento que esta perdido. Mas é extremamente mais difícil para alguém que acha que esta abençoado pelos próprias obras, por si mesmo, de encontrar o caminho para um relacionamento pessoal com Cristo.
Jesus passou mais tempo espalhando o evangelho de forma amorosa com os cobradores de impostos, prostitutas e pecadores do que com os religiosos/moralistas. Mas quando ele ia falar com estes, suas palavras não eram tão leves. “Lave o copo por dentro também, e não só por fora”.  Jesus nos diz que, embora o moralista parece estar seguindo a Deus, eles estão na verdade rejeitando a Ele, e assumindo que suas obras morais vão salva-los. Na verdade, essas pessoas estão perdidas e longe de Cristo.
Essa é a mensagem de Jó. Depois de todo o sofrimento de Jó, Deus aparece e diz “Jó, quem é você? Quem sou eu? Eu sou todo poderoso, todo sábio. Olhe tudo o que eu fiz e tudo o que eu faço.” E Ele faz uma grande lista para dizer quem é Deus e quem é Jó.
Jó, no capitulo 40, pede desculpas e diz que nunca deveria ter acusado a Deus. Mas Ele continua falando. Isso porque Jó ainda não entendeu. Deus não estava nervoso por causa das acusações de Jó, mas por causa do motivo por trás disso.
Assim como Deus não quer apenas nossas boas ações, ele também quer que os façamos pelos motivos certos.
Deus quer que Jó perceba que Ele é como uma pessoa, não como uma maquina de prêmios que da o que queremos em troca de boas ações. Ele quer ser amado, assim como Ele nos ama. E finalmente, no capitulo 42, Jó percebe isso:

“Então Jó respondeu ao Senhor: ‘Sei que podes fazer todas as coisas; nenhum dos teus planos pode ser frustrado. Tu perguntaste: ‘Quem é esse que obscurece o meu conselho sem conhecimento? ’ Certo é que falei de coisas que eu não entendia, coisas tão maravilhosas que eu não poderia saber. ‘Tu disseste: ‘Agora escute, e eu falarei; vou fazer-lhe perguntas, e você me responderá’. Meus ouvidos já tinham ouvido a teu respeito, mas agora os meus olhos te viram. Por isso menosprezo a mim mesmo e me arrependo no pó e na cinza’”. - Jó 42:1-6

Jó finalmente percebe que Deus o abençoa por amor, não porque Jó merece isso. Até esse ponto, Jó apenas tinha ouvido falar de Deus, mas agora ele vê Ele.
Deus não é uma maquina de prêmios, é um ser com personalidade e amor, que sabe o que é o melhor para nós e vai fazer o que for necessário para nos levar até esse melhor.
Jó estava perdido em seu moralismo e pensava que Deus não tinha motivos para puni-lo Satanás queria destruir Jó. Mas Deus usou isso para o beneficio de Jó. Satanás pensava que Jó adorava apenas aquilo que possuía. Mas Deus sabia que Jó tinha apenas se perdido.
O livro de Jó então nos ensina que Deus esta sempre no controle e, embora as coisas pareçam ruins, Ele sempre tem uma imagem maior das coisas em mente. Suas experiências podem ajudar os outros também.
Não pense que Deus é uma formula que pode ser enganado para o seu beneficio. Ele sabe como cada pessoa é e que cada um tem uma vida única. Sabe como tratar a cada um. Então, as tribulações que enfrentamos nunca serão as mesmas ou pelas mesmas razões.
Deus não apenas beneficia Jó no final, mas usa a sua experiência para o beneficio de seus amigos. Ele nos mostra que não é, obviamente, ruim fazer atos bons. Mas temos sempre que ter os motivos certos por traz deles.
Deus não quer nossas obras, Ele quer a nós, e depois ele quer trabalhar conosco.
No final, Deus da de volta todas as coisas a Jó, mas tem algo diferente:

“O Senhor abençoou o final da vida de Jó mais do que o início. Ele teve catorze mil ovelhas, seis mil camelos, mil juntas de boi e mil jumentos. Também teve ainda sete filhos e três filhas. À primeira filha deu o nome de Jemima, à segunda o de Quézia e à terceira o de Quéren-Hapuque. Em parte alguma daquela terra havia mulheres tão bonitas como as filhas de Jó, e seu pai lhes deu herança junto com os seus irmãos. Depois disso Jó viveu cento e quarenta anos; viu seus filhos e os descendentes deles até a quarta geração. E então morreu, em idade muito avançada.” - Jó 42:12-17

Naquela cultura, isso (sublinhado) seria considerado um pecado. Você não deve tratar mulheres como homens. Elas são inferiores. Mas Jó tem uma visão diferente em mente. “É certo tratar mulheres como inferiores?”, a resposta de Jó parece ser “Não”. O final do livro nos diz que não é sobre seguir regras e ser bom, é sobre fazer a coisa certa, mesmo se for contra as ditas regras.
Essa também é uma mensagem importante para os Cristãos de hoje: estamos seguindo regras para nos aproximar de Cristo, ou estamos fazendo o certo por Cristo? As regras que a sociedade “Cristã” demonstra diz que não devemos nos misturar com homossexuais e ateus e que devemos dizer a eles que eles devem se libertar de suas “abominações” antes que Cristo os ame. Mas é isso mesmo o que o Evangelho diz? O certo, não seria, ao invés de humilha-los, dizer que Deus os ama e eles precisam de Deus tanto quanto nós precisamos?
Todo o sofrimento de Jó foi necessário para que ele deixasse de ver Deus como uma maquina de prêmios, deixasse de ser um moralista, e para que começasse a fazer o certo por amor, não para receber bênçãos. Alem disso, ele influenciou seus amigos também.

Sofrimento de Cristo

Deus deixou seu grande trono no Céu, viveu uma vida de carpinteiro simples. Ele espalhou amor e esperança e foi condenado, mesmo sendo inocente. Ele sofreu o pior castigo e a maior tortura. Tudo para nos mostrar Seu amor.
Nas outras religiões, as pessoas tentam ganhar a deus ou a energia. No Cristianismo, Deus se fez homem e sofreu a pior das mortes para pagar por nossos pecados. Ele sofreu também. Ele não tinha que se fazer carne e sofrer por nós, mas Ele o fez por amor.
Quando estamos tão perdidos no pecado, Cristo vem e nos mostra que Ele veio para pagar por isso. Nós não podemos dizer que esse sofrimento veio porque Deus não nos ama. Se ele não nos ama, por que ele deixaria seu trono? Por que se tornaria humano? Por que sofreria a pior das mortes?
Na cruz do calvário, Cristo mostra que sofre conosco, e esta sempre ali para nos mostrar que no final, haverá uma eternidade de alegria e amor com Ele e aqueles que amam a Deus.

Todavia, como está escrito: "Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam";

1 Coríntios 2:9


Agradecimento: InspiringPhilosophy: The Book of Job Explained - https://www.youtube.com/watch?v=kZKuixGmiMw

Nenhum comentário:

Postar um comentário