quinta-feira, 6 de novembro de 2014

O Jesus Histórico #5 - Respondendo aos "cinco mitos sobre Jesus" de Reza Aslan


Reza Aslan é um escritor que Iraniano que escreveu vários livros e artigos sobre religião. Um de seus artigos, intitulado Five Myths about Jesus [Cinco mitos sobre Jesus] tenta apresentar cinco mitos sobre Jesus (dã) que não devem pertencer ao Jesus histórico. Será mesmo que ele tem bons argumentos?
Cinco “mitos” sobre Jesus?

- Jesus não é mencionado fora do Novo Testamento?

Antes de começar a falar sobre os “mitos”, Reza Aslan faz a declaração de que fora do Novo Testamento não existem fontes que mencionam Jesus.
Falso. Jesus é mencionado em fontes extra-biblicas Romanas, Judaicas e Cristãs. Mas essa objeção também assume que os evangelhos não são fontes confiáveis. O que é pura ignorância. Estamos falando de documentos escritos independentes e quatro biografias de Jesus escritos no primeiro século quando as testemunhas ainda estavam vivas. (Isso foi falado em outro texto)

- “Mito” 1 – Jesus não nasceu em Belém, mas sim em Nazaré

É verdade que existe um numero de estudiosos que acha que Jesus não nasceu em Belém. Mas temos que lembrar que o nascimento em Belém é mencionado em Lucas. Mesmo se só tivermos essa fonte, isso não é relevante para descartar que Jesus possa ter nascido em Belém. Grande parte da história antiga foi escrita com uma única fonte.
Agora, seria Lucas uma fonte crível? Lucas foi companheiro de viagem de Paulo e entrevistou diversas testemunhas oculares dos eventos da vida de Jesus, e é bem possível que ele tenha entrevistado Maria, a mãe de Jesus, já que sua narrativa é feita em cima da perspectiva de Maria. Já Mateus narra sob a perspectiva de José.
Nos 3 primeiros capítulos, Lucas cita 11 nomes historicamente confirmados como Herodes, César Augusto e Quirino por exemplo. Se Lucas estivesse inventando a história, não teria colocado referencias nos fatos descritos. O estudioso da Bíblia, F.F. Bruce diz:

“O escritor que relaciona deste modo sua história ao contexto maior da história mundial esta procurando problemas se não for cuidadoso. Ele da aos seus críticos e leitores muitas oportunidades para testar sua precisão. Lucas assume esse risco e passa no teste de maneira admirável.” [1]







E William M. Ramsay escreve:

''A história de Lucas é incomparável com respeito à sua fidedignidade [...] Lucas é um historiador de primeira linha [...]. [Ele] deveria ser colocado juntamente com os grandes historiadores". [2]








- “Mito” 2 – Jesus era filho único?

Reza diz que, apesar de isso ser uma posição da Igreja Católica, no N.T. Jesus tinha irmãos e irmãs. Mas isso não é um erro do N.T., mas sim um erro da Igreja posterior.

- “Mito” 3 – Jesus não teve 12 discípulos?

Reza Aslan diz que os doze discípulos eram próximos de Jesus, mas que ele tinha um grupo muito maior. Não entendo o que isso afeta a credibilidade do N.T. Existia o grupo chamado de “Os Doze”, que tinham essa denominação mesmo com onze membros após a morte de Judas. Mas também haviam outros discípulos. E daí?

- “Mito” 4 – Jesus não teve um julgamento diante de Pôncio Pilatos?

Reza diz que o Pilatos da história jamais faria algo do tipo, ele simplesmente mandaria matar os judeus que discordassem dele e, portanto, o retrato de Jesus e Pilatos nos evangelhos é falso.
Isso é simplesmente ignorância. Sabemos por meio de Flavio Josefo, historiador do primeiro século, que quatro anos antes de Jesus ser apresentado a Pilatos, quando Pilatos assumiu Roma, ele ordenou que instalassem imagens do Imperador em Roma. Então, os Judeus fizeram grandes protestos para que essas imagens fossem retiradas pois ofendia sua sensibilidade contra imagens. Pilatos então ordenou que os soldados tirassem suas espadas e matassem os Judeus. Mas os Judeus disseram que preferiam morrer do que comprometer suas crenças. Então, Pilatos, vendo que algo ruim estava prestes a acontecer, desistiu e retirou as estatuas.
Esse é exatamente o mesmo Pilatos que vemos no Novo Testamento. Quando os Judeus disseram que se ele não julgasse Jesus ele não era amigo de César, Pilatos viu que as coisas poderiam acabar ruins, desiste e manda Jesus para a cruz.

- “Mito” 5 – Jesus não foi colocado no tumulo de José de Arimatéia?

O engraçado sobre isso é que esse é outro fato sobre Jesus que é um dos mais aceitos pelos historiadores e críticos do Novo Testamento.
O sepultamento por José de Arimatéia é atestado em fontes múltiplas e independentes. José de Arimatéia provavelmente não é uma invenção cristã. O motivo pra isso é porque ele era membro do Sinédrio Judaico que condenou Jesus. Os cristãos no inicio da igreja não se davam muito bem com os lideres judeus. Não haveria por que dos cristãos inventarem uma pessoa do “grupo inimigo” que fez algum bem a Jesus. Qualquer fonte lendária ou tardia colocaria os discípulos ou membros da família de Jesus o colocando no tumulo.
De acordo com John A. T. Robinson da Cambridge University, o sepultamento de Jesus em sua tumba é “um dos mais antigos e melhor-atestados fatos sobre Jesus”. [3] [4]

Conclusão

Alguns dos ditos mitos são simplesmente irrelevantes, enquanto outros são baseados em ignorância ("baseados em ignorância" me lembra "O Codigo da Vinci" e o "Zeitgeist"). São coisas que parecem tão “serias” que são publicadas em sites e revistas de grande nome, e alguém pode não saber responder a essas coisas.

Fontes

[1] - 4St. Paul the Travellerand the Roman Citizen, pp. 90-91
[2] - F.F. Bruce, “Merece confiança o Novo Testamento?”, p. 107.
[3] - John A. T. Robinson, “The Human Face of God”, p. 131.
[4] - The Historical Jesus: William Lane Craig vs Reza Aslan - https://www.youtube.com/watch?v=i8FNTRvJjMc#t=714

2 comentários:

  1. Não sejas simplista! por favor. Chamar um cientista que tem alguns doutorados na bagagem, de ignorante, é piada. Comparar ZELOTA - que tem mais de 100 páginas de notas - com "O Codigo da Vinci" e o "Zeitgeist"), piada, do mesmo jeito. Li o livro e posso afirmar que estás modificando as palavras do autor. A fé não existe para refutar a ciência, mesmo porque, quando nossos filhos se acidentam, não os levamos à Igreja e sim aos hospitais. Me parece que não leste o livro, porém, se o fez, aconselho que o faça novamente. Sei que o ser humano precisa crer em algo que o conforte, mas deve crer sem atrapalhar o progresso da nação e sua crença na ciência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa critica não tem relação com o livro. Leia de novo o começo.
      Dizer que nossa crença é "apenas por conforto" comete a falácia genética. Veja minha série "piores argumentos contra o Teísmo".

      Excluir