quarta-feira, 8 de outubro de 2014

O Jesus Histórico #3 - Sabemos quem escreveu os evangelhos?

Uma das questões que vejo na mídia, é a de que os documentos do Novo Testamento não vieram “assinados”, ou escritos com os nomes dos autores, e que esses nomes foram escolhidos pela igreja posterior. Será mesmo que isso é verdade e será que é importante?

Sabemos quem foram os autores dos evangelhos?

Se a igreja escolheu depois quem foram os autores, fizeram um péssimo trabalho. Marcos e Lucas não eram discipulos de Jesus. Então, porque colocar eles como autores? Mateus era discipulo, mas era um dos mais “odiados” já que antes era coletor de importos. Dr. Craig Blomberg, considerado uma das autoridades mais importantes nas biografias de Jesus, os quatro evangelhos, diz o seguinte:



“Compare isso com o que aconteceu quando os fantasiosos evangelhos apócrifos foram escritos muito depois. As pessoas atribuíram sua autoria a personagens conhecidos e exemplares: Filipe, Pedro, Maria, Tiago. Esses nomes tinham muito mais prestígio que os de Mateus, Marcos e Lucas. [...] não haveria por que conferir a autoria a esses três indivíduos menos respeitáveis se não fossem de fato os verdadeiros autores.” [1]


Mas e João? Blomberg responde:

“Não há dúvida quanto ao nome do autor: era João. A questão é que não se sabe se foi João, o apóstolo, ou se foi outro. Segundo o testemunho de um escritor cristão chamado Papias, em aproximadamente 125 d.C, havia João, o apóstolo, e João, o ancião, mas o contexto não deixa claro se ele se referia a uma única pessoa de duas perspectivas distintas ou a pessoas diferentes. Fora essa exceção, todos os demais testemunhos afirmam unanimemente que foi João, o apóstolo, o filho de Zebedeu, quem escreveu o evangelho. [...]creio que grande parte do material remonta ao apóstolo. Todavia, se você ler com bastante atenção o evangelho, observará nos últimos versículos indícios de que eles talvez tenham sido finalizados por um editor. Eu, pessoalmente, não vejo problema algum no fato de que alguém próximo a João tenha dado aos versículos finais uma formulação tal que fosse capaz de conferir ao documento inteiro uma uniformidade estilística. Seja como for o evangelho de João baseou-se sem dúvida alguma no testemunho ocular, a exemplo dos outros três.” [2]

Os testemunhos antigos de Papias e Irineu confirmam os evangelhos. Papias, por volta de 125 d.C, afirmou que Marcos registrou tudo com cuidado e precisão o que Pedro havia testemunhado. Ele disse que Marcos “não cometeu erro nenhum” e que Mateus preservou também os escritos sobre Jesus. Irineu em 180 d.C confirmou a autoria tradicional, dizendo o seguinte:

“... Mateus publicou entre os hebreus, na língua deles, o escrito dos Evangelhos, quando Pedro e Paulo evangelizavam em Roma e aí fundaram a Igreja. Depois da morte deles, também Marcos, o discípulo e intérprete de Pedro, nos transmitiu por escrito o que pedro anunciava. Por sua parte, Lucas, o companheiro de Paulo, punha num livro o evangelho pregado por ele. E depois, João, o discípulo do Senhor, aquele que tinha recostado a cabeça ao peito dele, também publicou o seu Evangelho, quando morava em Éfeso, na Ásia.” [3]

É importante?

Os nomes dos autores dos evangelhos não são de extrema importância. A credibilidade dos documentos e a verdade dos fatos descritos independem de quem escreveu ou não os documentos. Se quem escreveu os evangelhos não foram Marcos, Mateus, Lucas e João, o que isso significa? Que Jesus não existiu? Que Deus não existe? Que Jesus não ressuscitou dos mortos? Obviamente não. Como William L. Craig diz:

“A idéia por traz dessa questão [quem escreveu os evangelhos] parece dizer que a autoria do Novo Testamento é de alguma forma crucial para eles serem fontes históricas criveis da vida de Jesus. Eu duvido que qualquer estudioso do Jesus histórico pense que tendo sucesso em identificar os autores dos vários documentos coletados no Novo Testamento seja crucial para eles servirem de fontes históricas com credibilidade para os eventos ou ditos de Jesus” [4]




Conclusão

Temos alguns bons motivos para crer nos nomes dos autores dos evangelhos. E mesmo se não tivéssemos, não é um detalhe muito importante. A verdade do evangelho não depende de seus autores.

Fontes

[1] – Craig Blomberg entrevistado por Lee Strobel, Em Defesa de Cristo. p. 13
[2] – Idem. p. 14
[3] – IRENEU, de Lião, III Livro, São Paulo, Paulus, 1995, p. 247, (Patrística.)
[4] – Reasonable Faith Q&A, “Gospel Authorship–Who Cares?”,  http://www.reasonablefaith.org/gospel-authorship-who-cares

Nenhum comentário:

Postar um comentário