sábado, 18 de outubro de 2014

Defendendo o AC Kalam #4 - Falacia do Equivoco?


(Se não conhece o Argumento Cosmológico Kalam, clique aqui)
A falácia da equivocação é quando alguém usa a mesma palavra em dois sentidos diferentes. Ceticos dirão que o Argumento Cosmológico Kalam comete essa falacia ao usar a palavra "causa" em dois sentidos diferentes, na premissa 1 quer dizer "causa material", mas na conclusão tem outro sentido.

Falacia do Equivoco?


Um exemplo de falacia do equivoco seria:

Premissa 1 – Sócrates é Grego
Premissa 2 – Grego é uma língua
Conclusão – Portanto, Sócrates é uma língua.


O problema é que o Argumento Cosmológico Kalam não comete tal falácia. A “causa” mencionada no argumento é o que Aristóteles chamou de “Causa Eficiente”. Uma causa eficiente é algo que traz um efeito a existência. Já uma causa matéria é o que compõe o efeito. Por exemplo, Michelangelo foi a causa eficiente da estatua “Davi”. Já o mármore de que a estatua é feita é a sua causa material. O que o argumento diz é que tudo o que começa a existir tem uma causa eficiente.

Conclusão

Quando é dito no argumento Kalam (pelo menos na versão tradicional), que tudo o que começa tem uma causa, quer dizer que tudo o que começa tem que ter uma causa eficiente. Quando isso esta entendido, a confusão desaparece.

Um comentário:

  1. mas aqui o começar e um termo de premissa falsa ja que o começar da 1 premissa nao e igual a segunda

    ResponderExcluir