segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Defendendo o AC Kalam #2 - Hawking em "O Grande Projeto"


Em seu livro “O Grande Projeto”, Hawking diz que o universo veio a existência por causa da gravidade e do vácuo quântico (que ele chama de “nada”). Sua frase, agora famosa, diz que “porque existe uma lei como a gravidade, o universo pode e ira criar a si mesmo a partir do nada”.

“Porque existe uma lei como a gravidade, o universo pode e ira criar a si mesmo do nada.”

Ha alguns problemas com isso, alem de Hawking não explicar do que ele esta falando, ele apenas diz isso como se fosse parte do "modelo certo". Primeiro, a força da gravidade faz a mesma coisa sempre, não poderia do nada agir de forma diferente para criar o universo. Há uma regularidade na ação da gravidade. Agora, ele deve estar falando da interação da gravidade com o vácuo quântico. Ele, assim como outros (cofcof Krauss cofcof) dizem que esse vácuo é o “nada”, mas nem de longe isso é "nada". (veja mais neste texto.)
Leis da física não podem fornecer uma explicação completa do universo, já que não criam nada, são apenas descrições do que acontece sob certas condições. Como Dr. Edgar H. Andrews, professor emérito de Materiais na Universidade de Londres e expert internacional em ciência de moléculas diz:

“Stephen Hawking cai nesse dilema, afirmando que o universo foi criado como resultado de flutuações quânticas (no vácuo), que passou a ser estabilizado por forças gravitacionais. Ele, portanto, requer as leis da mecânica quântica e da gravidade preexistam no universo… Mas o que é a lei da gravidade, senão uma descrição de como os corpos materiais interagem – tanto um com o outro ou com o espaço-tempo continuum? Afirmar que tal lei existisse na ausência de matéria, energia, espaço ou tempo exige credulidade e é incapaz de demonstração. Apenas a “mente de Deus” e os argumentos dos ‘projetos não materiais’ permanecem e estes são teológicos e não científicos.” [1]

Outro problema é que o universo criar a si mesmo é contraditório. Se X cria X, este tem que existir antes dele mesmo existir, o que é contraditório.

Modelo Hartle-Hawking

É bem importante, principalmente para cientistas, colocar claro do que eles estão falando ao publico. Neste livro, Hawking explora o modelo Hartle-Hawking, um modelo de universo eterno que contrai a um mínimo e expande. Ele tem um inicio em tempo imaginário.
Mas, apesar de ser eterno, esse modelo tem outros problemas e se baseia em coisas completamente especulativas.

Conclusão

A afirmação de Hawking é contraditória e não o ajuda muito em "eliminar Deus". (É engraçado ele também dizer que "a filosofia esta morta" e depois fazer varias perguntas filosóficas.)
No próximo texto da serie, veremos outra afirmação de Hawking. Ele diz, em “Curiosity” e “Uma Breve História sobre o tempo” que antes do Big Bang não havia tempo, portanto era impossível Deus criar o universo. Veremos porque esse (e outros) argumentos dele são horríveis.

Fontes

[1] – Edgar Andrews, “Could a universe create itself?” http://whomadegod.org/2011/08/could-a-universe-create-itself/

Um comentário:

  1. Como sempre bem exposto e com bons materiais adicionados à argumentação. Aqueles que tem o óculos do fundamentalismo cristão e também do ateísmo sempre verão com incredulidade ambos argumentos. Porém, para esses até a verdade exposta em sua frente é uma mentira.

    ResponderExcluir