quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Criação e Evolução #11 - Os primeiros "dias" e mais sobre mortes antes da queda.

Tendo apontado que os dias em Gênesis não precisam ser considerados literalmente como dias de 24 horas, Criacionistas de Terra Jovem vão argumentar que Êxodo 20:11 nos mostra que esses dias devem ser considerados como dias literais. Mas será mesmo?

O que a passagem realmente diz

Êxodo 20:11 diz

“Pois em seis dias o Senhor fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles existe, mas no sétimo dia descansou. Portanto, o Senhor abençoou o sétimo dia e o santificou.” (Êxodo 20:11)

No entanto, Dr. Gleason Archer diz:

“De forma alguma isso demonstra que intervalos de 24 horas estavam envolvidos nos primeiros seis ‘dias’, assim como os oito dias da celebração da Festa dos Tabernáculos não prova que a peregrinação no deserto de Moises ocupou oito dias.” [1]

Archer nos mostra que a duração de uma comemoração não indica o tempo de duração real dos eventos. O comando em Êxodo 20:11 aponta para a semana de criação de Deus como uma analogia para o Sábado.

Mais sobre mortes antes da queda

Apesar de já ter falado duas vezes (aqui e aqui) sobre isso, ainda há outra interpretação. Muitos irão argumentar que o pecado de Adão trouxe a morte espiritual. Vejamos o que Deus diz a Adão em Gênesis 2:

“E o Senhor Deus ordenou ao homem: ‘Coma livremente de qualquer árvore do jardim, mas não coma da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comer, certamente você morrerá’.” (Gênesis 2:16-17)

Nessa passagem, Deus diz a Adão “certamente você morrerá”. A morte de animais nunca é mencionada. O Criacionista de Terra Jovem, John MacArthur diz:

“Espiritualmente, nossos primeiros pais morreram no mesmo dia que eles provaram da fruta proibida. Mas fisicamente, suas vidas foram graciosamente prolongadas.” [2]

E Archer diz:

“A morte que tomou a culpa naquele dia foi apenas espiritual; morte física não veio até séculos depois... Eles foram mergulhados imediatamente em um estado de morte espiritual.” [3]

1 Coríntios 15

Criacionistas de Terra Jovem vão dizer que 1 Coríntios 15 diz que a morte veio por Adão:

“Visto que a morte veio por meio de um só homem, também a ressurreição dos mortos veio por meio de um só homem. Pois da mesma forma como em Adão todos morrem, em Cristo todos serão vivificados.” (1 Coríntios 15:21-22)

No entanto, o verso apenas diz que, assim como a morte veio por Adão, a ressurreição veio por Cristo. O verso claramente nos diz que a morte veio ao ser humano, já que é obvio que animais não “serão vivificados” pela morte de Cristo.

Romanos 8:20-22

Outro versículo usado para argumentar que não haviam mortes antes da queda é Romanos 8:20-22, que diz:

“Pois ela foi submetida à futilidade, não pela sua própria escolha, mas por causa da vontade daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria natureza criada será libertada da escravidão da decadência em que se encontra para a gloriosa liberdade dos filhos de Deus. Sabemos que toda a natureza criada geme até agora, como em dores de parto.” (Romanos 8:20-22)

O problema aqui é que a interpretação correta esta alem do texto. O pecado de Adão e a Queda não são diretamente mencionados, e a morte dos animais nem se quer é mencionada. O contexto completo de Romanos 8 nos fala sobre a glorificação da raça humana (Romanos 19, 21) e a esperança que a criação seja libertada da queda. A “futilidade” ou “frustração” da criação é “fragilidade, vazio e transitoriedade” que serão limpos quando a criação atual for substituída pela nova criação. Lee Irons diz que nessa passagem Paulo esta se referindo a Isaias:

“A metáfora do lamento da criação de Paulo, enquanto espera com expectativa pela ressurreição das pessoas direitas, parece ter sido tirada de Isaias. Isaias diz que ‘a terra esta de luto’ (Isaias 24:4), porque foi feito para ‘cobrir os seus mortos’. Isso então prepara o território para a profecia de Isaias da ressurreição dos mortos. De fato, é precisamente a ressurreição dos mortos que será a entrega da criação de seu serviço recrutado como o cemitério da humanidade. A criação se tornará o lugar renomado dos santos glorificados.” [4]

Conclusão

Em suma, a Bíblia não diz que os 6 dias são literalmente dias de 24 horas, nem que não haviam mortes antes da queda.

Fontes

[1] – Gleason L. Archer, “A Response to the Trustworthiness of Scripture in Areas Relating to Natural Science”, p. 91
[2] – John MacArthur, The Battle for the Beginning: Creation, Evolution, and the Bible, 56, 98.
[3] – Archer, “Encyclopedia of Bible Difficulties”, pp. 72-73
[4] – Reasons to Believe, “Animal Death Before the Fall: What Does the Bible Say?”, http://www.reasons.org/articles/animal-death-before-the-fall-what-does-the-bible-say

Um comentário:

  1. O doutor Severino Celestino esclarece diretamente do hebraico essa questão posta no Bereshit.

    ResponderExcluir