segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Sobre moralidade #1 - A Lei Moral é inegável


Nessa serie, falarei sobre a moralidade e a realidade de fatos morais. Todos nós temos esse conhecimento de que algo é bom ou mal, certo ou errado. Mas o que nós esquecemos de perguntar é “por quê?”.
É possível negar fatos morais?

O Holocausto

Na época da segunda guerra mundial, um homem iniciou um grande “movimento” que teria como base a evolução das espécies. Para conseguir seu objetivo, ele teria que demonstrar como algumas pessoas não eram humanas e atrasavam o desenvolvimento humano. Assim, atingir seu objetivo de agradar a seu “Deus” estranho. Um Deus completamente diferente do Judaico-Cristão. Se esse não era seu objetivo, então era tudo apenas para agradar sua idéia maluca de que devíamos evoluir para outro estagio. Eu não sei os detalhes do objetivo (ou objetivos), mas sei que no fim mais de 6 milhões de pessoas foram mortas pela ideologia espalhada por este pseudo-humano. Milhões de pessoas mortas por suas religiões, raças, deficiências, etc. (Eu não sou grande expert nisso, então qualquer erro, releve. Mas acho que o básico esta certo)
Peter Weiss, um escritor alemão, colocou em sua peça “O Interrogatório” alguns relatos do que as testemunhas do holocausto disseram em um tribunal para acusar os nazistas de suas obras desumanas. As testemunhas do julgamento contavam detalhadamente como pessoas eram castigadas. Desde pessoas sendo penduradas e espancadas até a morte até crianças tendo suas cabeças arremessadas na parede.
Essas atrocidades foram conhecidas como “O Holocausto”. O momento na história onde um pseudo-humano chamado Hitler conseguiu convencer milhares de pessoas de que haviam seres humanos que deveriam ser mortos por suas crenças ou, como ele dizia,  “defeitos”.

O Problema do Mal (Serie)

Crianças morrendo de fome, injustiças, preconceito, guerras, etc. Todo esse mal existe e nós sabemos disso. Sabemos que pessoas agem de forma errada para conseguir seus prazeres ou encher seus egos inúteis.

Machismo e Homofobia

Mais atual que isso, podemos ver pessoas lutando por todos os lados pelo movimento Feminista e Homossexual. O combate a idéia de que mulheres são inferiores aos homens, a idéia da importância da liberdade da mulher e seu status na sociedade. Similarmente, o combate aos pseudo-humanos que agridem homossexuais, muitas vezes os matando, simplesmente por terem uma opção sexual diferente. (Não, a Bíblia não é machista nem homofóbica...)

Políticos corruptos

Atual também, vemos políticos que prometem coisas ao povo, mas acaba usando o povo e seu dinheiro com impostos abusivos e usando-os para interesse próprio, para seus egoísmos diários, sua satisfação pessoal. Enquanto isso, pessoas morrem de fome, o pais fica sem segurança, a educação é uma piada, etc.

Pense nisso

Sem uma lei moral, nada disso é errado. Eu usei apenas quatro exemplos, mas no dia-a-dia nós experimentamos varias coisas em nossas experiências morais. É inegável a existência da Lei Moral. Seguindo a lógica, se existe uma Lei, deve haver um Legislador. Ou, como Kant dizia, se não há esse legislador que recompensará pessoas morais depois da morte, então não há motivo racional para agir de forma moral.
Você não pode simplesmente dizer que “toda ação tem uma reação”. A grande pergunta é “por que se preocupar?”. Quem impõe essas obrigações morais em nós? Qual o valor do ser humano se ele é, essencialmente, apenas um rearranjo de partículas? (Se esta confuso, esse texto pode ajudar)

Conclusão

A existência de fatos morais é inegável. Qualquer pessoa reconhece sua existência em experiências morais.
No próximo texto, falarei dos problemas (óbvios) do relativismo moral e cultural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário